IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Reforma da Previdência


Deputado acusa Guedes de crime de responsabilidade e protesta com "cheque"

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

08/05/2019 19h08

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) acusou hoje o ministro da Economia, Paulo Guedes, de cometer crime de responsabilidade fiscal ao não divulgar informações sobre a capitalização na Previdência. Em protesto, mostrou um "cheque" enorme em branco em nome dos bancos para Guedes.

Durante audiência sobre a reforma na Câmara, com a presença de Guedes, Valente afirmou que enviou um pedido de informações ao Ministério da Economia sobre os custos com a transição para o novo regime.

A pasta teria dito que os cálculos só poderão ser feitos quando for aprovada a lei complementar da capitalização, que o governo promete enviar ao Congresso após a aprovação da reforma da Previdência.

Segundo Valente, a resposta do ministério não é verdadeira porque Guedes teria dito publicamente que os cálculos existem. "Tenho uma gravação de uma palestra sua no Banco Central. O senhor diz o seguinte: 'Precisamos de R$ 1 trilhão para ter potência suficiente para pagar transição. Isso está bem trabalhado, bem simulado e por isso precisamos de R$ 1 trilhão'", afirmou o deputado.

Para ele, houve crime de responsabilidade porque o ministro teria fornecido informação falsa. "O senhor cometeu crime de responsabilidade. Vocês têm o cálculo, mas não mandaram para cá", declarou.

A capitalização é a espinha dorsal da reforma da Previdência proposta por Guedes. Nela, cada trabalhador poupa para a sua própria aposentadoria, e só recebe o que juntou. É diferente do atual, de repartição, no qual quem está na ativa paga os benefícios dos aposentados. A transição para a capitalização tem um custo alto, mas o governo disse não ter calculado de quanto.

Mais Reforma da Previdência