IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Polícia investigará anúncio falso de emprego que levou dezenas a fila no RJ

Fila de pessoas após um anúncio falso de emprego no centro de Niterói (RJ) - José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
Fila de pessoas após um anúncio falso de emprego no centro de Niterói (RJ) Imagem: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

16/08/2019 13h28Atualizada em 16/08/2019 17h27

Um áudio falso que circulou no WhatsApp levou dezenas de pessoas desempregadas a formar uma fila no centro de Niterói em busca de trabalho na manhã de hoje (16).

A Subsecretaria de Emprego e Renda, vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, informou ao UOL que irá formalizar um boletim de ocorrência na Delegacia de Crimes de Informática na tarde de hoje para que o caso seja investigado pela Polícia Civil do Rio.

"Quem tiver desempregado na sua família, manda pro Sine [Sistema Nacional de Emprego] Niterói, a inauguração vai ser sexta-feira, dia 16, na rua da rodoviária, Avenida Feliciano Sodré, 43, 8h da manhã. Tem que trazer identidade, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência, tá bom? [sic]", afirma uma pessoa nos áudios que circularam pelo aplicativo de mensagens.

"Eu não vou 'tá' [sic] lá. Eu trabalho na matriz, eu trabalho na sede, lá no Rio. Manda a galera pra cá porque tem muito emprego, muito emprego. Manda todo mundo pra cá. Sexta-feira, dia 16 de agosto, levar todos os documentos, identidade, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência. Eu não vou tá lá, mas vai ter muita vaga de emprego, manda a galera toda pra lá [sic]", anuncia outro áudio.

Na noite de ontem, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico chegou a divulgar, em seus canais de redes sociais, que o anúncio era falso. As postagens, contudo, não tiveram o mesmo alcance do que a notícia falsa que circulou em áudios.

Devido ao anúncio falso, a fila em busca de emprego chegou a ser formada antes das 8h.

"Eu vim aqui atrás do tal Sine procurar uma vaga de emprego. Chego aqui e é essa situação sem vergonha aí com todos nós, com os meus colegas aqui procurando emprego. Deixa filho com os outros, pega dinheiro emprestado e é isso aí, essa palhaçada com o brasileiro", disse uma das vítimas à TV Globo na manhã de hoje.

"Minha indignação é porque dá vontade de explodir essa pessoa, de protestar. Eu estou há cinco anos desempregada. Há cinco anos sem um trabalho. Está difícil para todo mundo e a gente chega aqui e é essa palhaçada. Alguém tem que fazer alguma coisa porque é complicado", finalizou ela.

"Foi algo que realmente abalou muito a gente, a expectativa de emprego frustrada e dado o momento de crise que a gente vem vivendo, com expectativa e custo financeiro para essas pessoas. A gente resolveu que não bastava desmentir como a gente fez. Denunciamos para que isso não aconteça mais e para apurar os fatos e quem espalhou. Não queremos que a população fique à mercê disso. Além disso, sempre que receber informação busque as fontes oficiais do governo", declarou a subsecretária de Emprego e Renda, Ana Asti, ao UOL.

Mais de 3 milhões de brasileiros procuram emprego há pelo menos dois anos

redetv

Mais Economia