IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

PIB surpreende mercado, e analistas podem subir projeção para 2019

Mariana Bomfim

Do UOL, em São Paulo

29/08/2019 10h43

Resumo da notícia

  • PIB do 2º trimestre surpreendeu positivamente analistas do mercado financeiro
  • Resultado pode levar a uma revisão de projeções para a economia neste ano
  • Havia temores de um resultado negativo e de uma recessão técnica
  • Próximos indicadores devem indicar se esse quadro irá se manter

O resultado do PIB (Produto Interno Bruto) no segundo trimestre surpreendeu positivamente analistas do mercado financeiro e pode levar à revisão das projeções para a economia neste ano.

O Brasil cresceu 0,4% no segundo trimestre e 1% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dois resultados ficaram acima da expectativa em pesquisa da agência de notícias Reuters com analistas, que previa alta de 0,2% na base trimestral e de 0,7% na anual. O crescimento de 0,4% foi também o maior para segundos trimestres desde 2013.

"A notícia do PIB foi ótima e muito positiva para o mercado", afirmou o diretor da corretora Mirae Asset, Pablo Spyer. "Todos estávamos muito nervosos com a possibilidade de o Brasil entrar em recessão técnica, e não foi o que vimos."

A recessão técnica acontece quando o PIB encolhe por dois trimestres seguidos, na comparação com o trimestre anterior. No primeiro trimestre deste ano, a economia havia caído 0,2%. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revisou esse número hoje e divulgou que a queda foi menor, de 0,1%.

Revisão de projeção para 2019

Indicadores recentes negativos do Banco Central e do próprio IBGE indicavam um desempenho ruim de setores do PIB, como a indústria, o que gerou a expectativa de que a economia poderia ter encolhido mais uma vez no segundo trimestre.

"A despeito da Pesquisa Industrial Mensal ter apontado retração em torno de 0,6% da indústria no segundo trimestre, os dados das contas nacionais mostram que o setor subiu 0,7% e ajudou muito no resultado [do PIB]. Interessante notar também o robusto crescimento dos investimentos, que subiram 3,2% no trimestre", disse André Perfeito, economista-chefe da corretora Necton. "É uma surpresa extremamente positiva e irá forçar revisões em nossas projeções."

As últimas projeções de analistas de mercado consultados pelo Banco Central previam alta de 0,8% no PIB em 2019, de acordo com o boletim Focus. No início do ano, a previsão de crescimento era de 2,53%.

Marcos Ross, economista-sênior da XP Investimentos, afirmou que o que mais surpreendeu foi a composição do resultado do PIB, com crescimento dos investimentos, da construção civil e da indústria da transformação.

"A redução do consumo da administração pública puxou o PIB para baixo, mas, de forma geral, isso é positivo porque abre margem para a retomada de investimentos privados", afirmou. "Agora vamos aguardar os próximos indicadores para saber se esse quadro de crescimento vai se manter, se o investimento volta a acelerar e se o consumo, em geral, vai ter bom desempenho no terceiro trimestre."

(Com Reuters)

Entenda o que é o PIB e como ele é calculado

UOL Notícias

Economia