Topo

Valor de impostos no BR atinge R$ 2 trilhões, 14 dias antes do que em 2018

Impostômetro chega a R$ 2 trilhões em 2019  - Reprodução
Impostômetro chega a R$ 2 trilhões em 2019 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

23/10/2019 13h31

O valor dos impostos pagos pelos brasileiros chegou a R$ 2 trilhões hoje (23). O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) chegou à marca por volta das 13h30 (de Brasília).

O número foi atingido 14 dias em relação a 2018. A situação indica que o brasileiro paga mais impostos e tributos aos cofres públicos neste ano.

O economista da ACSP Marcel Solimeo afirma que a marca pode chegar a R$ 2,4 trilhões até o fim do ano.

"Esse volume é reflexo da inflação e está dentro das previsões levando em consideração os problemas que o governo enfrenta", disse Solimeo em entrevista ao site do Impostômetro. "O esforço que o governo vem fazendo com o teto dos gastos tem tido resultados muito lentos se considerar a urgência da redução no gasto governamental".
Impostômetro

O painel do Impostômetro foi inaugurado em 20 de abril de 2005 e está instalado no prédio da sede da ACSP, no centro de São Paulo.

Também pela internet, qualquer cidadão pode acompanhar o total de impostos pagos pelos brasileiros aos governos federal, estadual e municipal, de acordo com os Estados e municípios.

O sistema informa ainda o total de impostos pagos desde janeiro do ano 2000 e faz estimativas de quanto será pago até dezembro deste ano.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia