IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Black Friday: Procon-SP faz ação para ajudar consumidor a fugir de ciladas

pixabay
Imagem: pixabay

Do UOL, em São Paulo

22/11/2019 11h28

Resumo da notícia

  • Hoje, ação ocorre nas estações de metrô Chácara Klabin, Consolação, Higienópolis, Liberdade e Tatuapé e nas estações Pinheiros e Tamanduateí da CPTM
  • De 25 a 27 de novembro, estarão nas estações de metrô Chácara Klabin, Itaquera e Higienópolis e na estação Tamanduateí da CPTM
  • Em 27 de novembro, também haverá plantão de dúvidas no aeroporto de Congonhas

Especialistas do Procon-SP estarão em estações do metrô e da CPTM e no aeroporto de Congonhas dando dicas aos consumidores para não caírem em ciladas durante a Black Friday, a acontecer na próxima sexta-feira (29).

Hoje, quem passar pelas estações Chácara Klabin, Consolação, Itaquera, Higienópolis, Liberdade e Tatuapé, entre 10h e 14h, e nas estações da CPTM Pinheiros (das 6 h às 10 h) e Tamanduateí (das 10 h às 14 h) poderão tirar dúvidas com os especialistas.

A partir da próxima segunda-feira (25) até quarta-feira (27) a ação estará nas estações do metrô Chácara Klabin, Itaquera, Higienópolis e na estação Tamanduateí da CPTM (das 10h às 14h). Também na quarta-feira haverá plantão de dúvidas no aeroporto de Congonhas, a partir das 8h.

Segundo o Procon-SP, desde o dia 18 de outubro, quando as ações de orientação tiveram início, já foram mais de 4.000 atendimentos nas estações do metrô e da CPTM.

Confira algumas dicas do Procon para evitar transtornos durante a Black Friday:

  • Recomenda-se que o consumidor faça uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto, evitando assim gastar mais do que o previsto. Importante também fazer uma pesquisa de preços por meio de aplicativos e sites de comparação de preços.

  • Observar o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa são atitudes que ajudam a evitar problemas.

  • O consumidor deve evitar clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais, fazendo sempre a consulta da página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site.
  • Ao fazer a compra online, é importante salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e a confirmação do pedido.
  • Os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.
  • Qualquer produto, nacional ou importado, deve apresentar informações corretas, claras e em língua portuguesa sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazo de validade, origem, além dos riscos que possam apresentar à saúde e segurança dos consumidores.
  • Nas compras feitas em sites, após escolher o produto ou serviço, o consumidor deve verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual.
  • De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, em compras feitas fora do estabelecimento, o consumidor tem 7 (sete) dias para se arrepender, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta (o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto).
Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Especialista alerta para principais golpes da Black Friday

Band Entretenimento

Economia