IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Mídia e Marketing


Como foi a operação para "vestir" o Cristo Redentor com camisa do Flamengo

Divulgação
Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/11/2019 11h23

Resumo da notícia

  • Ação foi estratégia de marketing da Adidas, fornecedora de uniformes do clube rubro-negro
  • Iniciativa também envolveu a Arquidiocese do Rio de Janeiro
  • Foram utilizados oito projetores para simular a camisa

Na sexta-feira passada (22), véspera da final da Copa Libertadores entre Flamengo e River Plate (Argentina), o Cristo Redentor, um dos principais cartões postais do país, apareceu "vestindo" a camisa do time brasileiro.

A ação fez parte de uma estratégia de marketing da Adidas, empresa fornecedora dos uniformes para o clube rubro-negro. Mas como foi feita a operação para que o Cristo "colocasse" a camisa do time?

O projeto nasceu de uma criação conjunta entre a marca de artigos esportivos e a agência Ogilvy.

A iniciativa também envolveu uma negociação com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, que é responsável pelas ações que envolvem a estátua, até mesmo, a publicação de fotos do Cristo em campanhas publicitárias.

Segundo a agência, a negociação foi "relativamente rápida" e durou apenas alguns dias.

"Há uma integração entre o Cristo Redentor, o futebol e o povo brasileiro. O monumento ao Cristo Redentor é como o futebol: faz parte do afeto nacional. É o símbolo da expressão psicossocial do povo brasileiro", afirmou o padre Omar Raposo, reitor do Santuário Cristo Redentor.

Ao contrário do que se imagina, não foi utilizada a técnica de "projeção mapeada", mais comum neste tipo de ação.

Para colocar o uniforme no Cristo Redentor, foram utilizados oito projetores, simulando uma camisa, como se ela estivesse "flamulando" ao vento. Isso fez com que a imagem parecesse mais real. A projeção foi feita pela empresa Today Soluções.

Divulgação
Imagem: Divulgação

No final, foram duas noites de projeções. A primeira aconteceu na sexta-feira, com o Cristo vestindo uma camisa com a frase "Jogaremos Juntos". Na sequência, a projeção foi trocada e a estátua "vestiu" a camisa do Flamengo.

No sábado, já com o título conquistado, houve mais uma projeção.

Desta vez, a imagem refletiu a camisa que os jogadores usariam durante o desfile de campeões, que aconteceu no domingo (24), no Rio de Janeiro.

Estima-se que a multinacional alemã investiu cerca de R$ 100 mil na ação, entre a autorização para uso da estátua e seu sistema de projeções.

Na virada do ano, Cristo "ganhou vida"

Projeções no Cristo têm se tornado comuns. No final do ano passado, com patrocínio da Epson, a estátua "ganhou vida" para passar uma mensagem de paz, em linguagem de libras, durante a festa de Réveillon.

A ação foi realizada em parceria com o Projeta Rio, ação de inclusão digital que realiza oficinas de mapeamento de vídeo para jovens das comunidades da Rocinha, do Vidigal e de Santa Marta.

Para "dar vida" ao Cristo, a empresa utilizou seis projetores para estampar imagens na estátua e promover a sensação de movimento da estátua.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Paulo Loeb, da F.biz: O marketing entre empresas pode ser divertido

UOL Notícias

Mídia e Marketing