PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

Feijão sobe mais do que carne em um ano, mas impacto na inflação é menor

iStock
Imagem: iStock

Ricardo Marchesan e Maria Carolina Abe

Do UOL, em Sâo Paulo

06/12/2019 15h50

Resumo da notícia

  • Em um ano, carne subiu 14,43%; no mesmo período, três tipos de feijão registraram altas maiores
  • Feijão-carioca subiu 42,88% até novembro
  • Feijão subiu bastante no começo do ano; depois, caiu
  • Por ser mais cara, impacto da carne na inflação geral é maior do que feijão

A disparada do preço da carne em novembro, que puxou a inflação do mês, chamou a atenção dos consumidores. Mas outro item muito popular na mesa do brasileiro também vem tendo uma alta expressiva nos últimos meses: o feijão.

Em um ano, até novembro, a carne bovina subiu 14,43%. No mesmo período, três variedades de feijão registraram altas maiores: feijão-branco (64,36%), feijão-carioca (42,88%) e feijão-fradinho (21,61%).

Essas altas registradas são valores médios para o país. Os preços variam por região. Assim, o consumidor pode encontrar altas maiores ou menores quando vai às compras.

As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (6) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e fazem parte do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial no Brasil. A inflação subiu 0,51% em novembro, o pior resultado para o mês desde 2015, impulsionada pela disparada do preço da carne.

Feijão subiu mais no começo do ano

De acordo com o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov, o feijão subiu significativamente no começo do ano, no período de entressafra. Depois, no meio do ano, o preço caiu, com a segunda safra.

Em novembro, os feijões carioca (6,66%), branco (5,02%) e fradinho (4,53%) subiram, enquanto o preto (-1,71%) e o mulatinho (-8,15%), caíram.

O impacto do preço da carne no resultado da inflação é maior do que o do preço do feijão, porque a carne é mais cara. Então, ainda que o feijão tenha tido um aumento maior, impacta menos o IPCA, segundo Kislanov.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Por que a inflação no nosso bolso parece maior do que a inflação oficial?

UOL Notícias

Economia