PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Apesar da fila, quem quer se aposentar deve pedir já para não ter prejuízo

Lucas Borges Teixeira/UOL
Imagem: Lucas Borges Teixeira/UOL

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

23/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Valor a ser recebido começa a contar a partir do pedido
  • No primeiro pagamento, aposentado também recebe atrasados
  • Para quem já quer dar entrada, orientação é não esperar fila diminuir

A fila do INSS está grande. Atualmente, são cerca de 2 milhões de pedidos em espera, sendo 1,3 milhão atrasados, ou seja, a mais de 45 dias sem resposta. Mas a demora não significa que é melhor deixar para dar entrada no pedido depois. Especialistas aconselham que, se você já quer se aposentar, é melhor não esperar, ou pode perder dinheiro.

O valor que o aposentado deve receber de aposentadoria começa a contar desde a data em que ele fez o pedido, explicam as advogadas Vívian De Camilis e Samanta Leite Diniz, especialistas em Direito do Trabalho e Previdenciário do escritório Innocenti Advogados.

Mesmo que demore meses para sair a aposentadoria, quando ela for autorizada, o beneficiário recebe os valores atrasados. Ou seja, quanto mais esperar para pedir, mais dinheiro vai perder.

Precisa calcular se vale a pena para você

Independentemente da fila, é importante lembrar que a hora de dar entrada na aposentadoria é uma decisão pessoal. Dependendo do caso, esperar um pouco mais pode aumentar o valor a ser recebido, por exemplo.

Após a reforma, o cálculo do valor da aposentadoria mudou. Quem estava mais perto de atingir os requisitos pode se encaixar em uma das regras de transição, que podem aumentar ou diminuir a aposentadoria mensal.

Por isso, especialistas aconselham a analisar a própria situação profissional e fazer um planejamento previdenciário, antes de se aposentar.

Pedido pode ser online ou por telefone

O pedido de aposentadoria, assim como outros benefícios do INSS, pode ser feito online, pelo Meu INSS, ou por telefone. O sistema está passando por adequações, por causa das mudanças das regras após a reforma da Previdência, mas ainda é possível dar entrada nos pedidos, segundo o instituto.

Mesmo assim, há registro de pessoas que não estão conseguindo fazer nem o pedido. Nesses casos, a recomendação dos advogados é ir a uma agência para tentar resolver o problema.

Governo chamará militares para diminuir fila

Segundo o governo, a fila é uma herança de 2018, quando o INSS intensificou o processo de digitalização. Ficou mais fácil pedir os benefícios, mas o ritmo das análises não acelerou na mesma proporção.

Com a reforma aprovada, a nova Previdência começou a valer em 13 de novembro do ano passado. Mas os sistemas do INSS não foram atualizados a tempo. Assim, todos os pedidos feitos desde então com base nas novas regras estão parados, sem previsão de quando terão andamento.

A principal medida anunciada pelo governo para reduzir o tempo de espera foi o reforço no atendimento com militares da reserva. A promessa é contratar de 7.000 militares, que receberão adicional de 30%.

Segundo o INSS, a Secretaria de Previdência e a Dataprev (empresa pública responsável pela atualização do sistema) estão em uma força-tarefa para resolver o problema.

De acordo com uma nota técnica da Secretaria de Previdência, havia quase 1,9 milhão de pedidos acumulados em 1ª de janeiro de 2019. Com o avanço da reforma da Previdência no Congresso ao longo de 2019, o número de pedidos de aposentadoria aumentou. O pico de requerimentos acumulados foi de 2.561.679 em julho.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Quem tem direito ao 13º do INSS?

UOL Notícias

Economia