PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Compras com cartões de crédito e débito subiram 18,7% em 2019

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 14h43

De acordo com a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), durante o ano 2019, os brasileiros realizaram R$ 1,84 trilhão em compras com cartões de crédito, débito e pré-pagos em 2019. Os números representam um aumento de 18,7% em comparação a 2018.

Pela primeira vez, as compras com cartões de crédito bateram o volume superior a R$ 1 trilhão, com alta de 19,8%. Já os cartões de débito somaram R$ 664 bilhões, com alta de 15,5% e os pré-pagos R$ 22 bilhões, com alta de 73,6%.

Pagamentos por aproximação

O levantamento também acompanhou o volume de compras feitas por meio da tecnologia de aproximação NFC (Near Field Communication), em que o consumidor apenas aproxima seu dispositivo (cartão, celular, relógio e pulseira, entre outros) da máquina de cartão para realizar as compras.

Em 2019, a modalidade cresceu 565%, movimentando um total de R$ 6 bilhões. O crescimento pode ter sido influenciado pela adoção da tecnologia nos sistemas de transporte público de grandes cidades, como São Paulo, e pela maior adesão por parte dos usuários no comércio em geral.

Compras remotas

Os pagamentos realizados à distância, em especial via e-commerce, plataformas digitais e aplicativos, já representam 28% das transações com cartões de crédito no Brasil - em 2018, a fatia era de 20,5%. O valor movimentado foi de R$ 323,5 bilhões, com elevação de 31% em comparação com o ano anterior.

Desafios em 2020

A Associação explica que a crise gerada pela propagação do novo coronavírus tem impactado diretamente diversos segmentos da economia nas últimas semanas, principalmente os setores de comércio e serviços, o que consequentemente afetará o volume via pagamentos eletrônicos. No entanto, ainda considera cedo para realizar a projeção dos resultados totais do setor de cartões em 2020.

Mobilização do setor

O setor de cartões tem participado de iniciativas para amenizar os impactos da crise entre usuários e estabelecimentos comerciais. Entre elas, encaminhar uma proposta à equipe econômica do governo federal para dar acesso a uma linha de financiamento por meio das credenciadoras, responsáveis pelas redes de máquinas de cartão, visando de aumentar a disponibilização de crédito para autônomos, microempreendedores e pequenas empresas impactadas pela crise.