PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Regina Duarte ironiza problemas para trabalhador sacar auxílio emergencial

Regina Duarte participa do "Conversa com Bial" - Reprodução/TV Globo
Regina Duarte participa do "Conversa com Bial" Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, no Rio

09/05/2020 13h46

Regina Duarte fez publicações em sua conta oficial no Instagram após a polêmica entrevista para CNN Brasil, que causou indignação de artistas em relação à postura desconfortável com uma crítica em vídeo feita pela atriz Maitê Proença e minimizou a ditadura militar no país. Na tarde de hoje, a secretária especial de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou os trabalhadores que não conseguiram sacar o auxílio emergencial.

"Desde março/20... Foi superanunciado. Quem precisava de auxílio para enfrentar a pandemia foi atrás. Quem não precisava... Está cobrando auxílio até hoje! Então... Vai lá! Nem tem mais que enfrentar fila grande", declarou a atriz, usando a hashtag Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Apesar da fala da artista, filas enormes ainda são registradas diariamente em algumas agências da Caixa para o saque no valor de R$ 600. Além disso, muitas pessoas já cadastradas não conseguiram fazer a retirada por erro no sistema.

O comentário de Regina na rede social teve muitas críticas. Rapidamente, ela recebeu milhares de comentários sobre a sua postura. "Você calada é uma poetisa", debochou um internauta. "Não tem mais fila grande? Acho que não estão vendo direito", atentou outro. "Mano, alguém cancela esta senhora", pediu um terceiro.

Alguns apoiadores de Bolsonaro concordaram com ela e chegaram a elogiar sua atitude. "Exatamente, Regina!!! Mas tem gente que quer 600 milhões sem trabalhar", acusou um seguidor. "Estamos com você", disse uma mulher. "Parabéns, Regina pela postura na CNN", parabenizou uma admiradora.

Mais cedo, Regina compartilhou um vídeo da crise na Venezuela e escreveu uma reflexão sobre a quarentena por conta do coronavírus na legenda. "Desculpem começar este sábado com a morbidez de um vídeo tão ao gosto dos radicalismos de esquerdas e direitas neste momento", iniciou a secretária.

"Covid -19. Trata-se de um apelo à consciência de quem não consegue respeitar as importantes medidas que estão sendo tomadas por este Governo BR desde que o vírus se inoculou em nossa sociedade. Trata-se de importante anunciação do pré-letal a que estamos sendo, pelo 'vírus', empurrados qual manada: miséria, fome, violência", concluiu Regina.

Entrevista polêmica

Na entrevista concedida à CNN Brasil de seu gabinete em Brasília, Regina acabou interrompendo a conversa quando a emissora mostrou um vídeo enviado pela atriz Maitê Proença pedindo soluções para a classe artística em meio à pandemia do novo coronavírus.

"O que você ganha com isso? Quem é você que está desenterrando uma fala da Maitê [Proença] de dois meses atrás? Eu não quero ouvir, ela tem o meu telefone. Eu tinha tanta coisa para falar, vocês estão desenterrando mortos", disse Regina, pondo fim à entrevista.

A CNN esclareceu, então, que o vídeo não era de "dois meses atrás", mas havia sido gravado no mesmo dia da entrevista.

Nas redes sociais, vários artistas, alguns ex-colegas de Regina, criticaram fortemente suas declarações.

Quando questionada sobre seu silêncio sobre as mortes de nomes importantes da cultura do país, Regina afirmou que optou por "mandar uma mensagem como secretária para as famílias que fomos perdendo nos últimos tempos".

"Será que eu vou ter que virar um obituário? Quantas pessoas a gente está perdendo? (...) O reconhecimento ele existe ou não existe. Tem pessoas que não conheço. O Aldir Blanc, por exemplo, eu admiro muito, mas eu nunca estive (com ele). O país está cultuando a memória deles, não precisa da secretária de Cultura", disse Regina.

"Agora, se eu, amanhã ou depois, conseguir amadurecer a possibilidade de que isso é importante para as pessoas, eu posso ter no site da comunicação, da Secult (Secretaria de Cultura) o obituário (...) eu tenho mandado para as famílias", acrescentou.