PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

UOL Economia Explica

Entenda o que é e para que serve o Banco Mundial

Presidente do Banco Mundial, David Malpass - FLORENCE LO
Presidente do Banco Mundial, David Malpass Imagem: FLORENCE LO

do UOL, em São Paulo

19/06/2020 14h12

O Banco Mundial, também chamado de Bird (Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento), é uma agência que faz parte das Nações Unidas e é formada por 187 países-membros. Fundado em 1944, tem sede em Washington, nos Estados Unidos, e emprega mais de 10 mil funcionários em mais de 120 escritórios em todo o mundo.

O objetivo principal do Banco Mundial é a redução da pobreza e das desigualdades e seu papel é dar crédito para financiar projetos voltados para o desenvolvimento. Ele financia, por exemplo, programas de educação e combate à fome e projetos de infraestrutura, como saneamento básico ou energia.

A instituição é hoje a maior fonte global de assistência para o desenvolvimento, já tendo liberado mais de US$ 60 bilhões todos os anos em empréstimos e doações aos 187 países-membros.

Parceiro do Brasil há mais de 60 anos

O Banco Mundial é parceiro do Brasil há mais de 60 anos, e já apoiou o governo federal, os estados e os municípios em mais de 430 financiamentos, doações e garantias, que somam quase US$ 50 bilhões ao longo desses anos.

Anualmente, são realizados, em média, US$ 3 bilhões em novos financiamentos, em áreas como gestão pública, infraestrutura, desenvolvimento urbano, educação, saúde e meio ambiente.

Banco Mundial atua de forma independente

Embora faça parte do sistema de órgãos das Nações Unidas, o Banco Mundial atua de forma independente. A liberação de recursos, as formas de atuação e os planos são decididos pelo corpo de profissionais da instituição.

Os países membros são os acionistas do Banco Mundial. Cada um deles tem que colocar dinheiro na instituição, formando o capital que é empregado para conceder o crédito aos projetos.

Como países participam das decisões

Cada país é representado na chamada Assembleia de Governadores, que é o órgão responsável por formular as políticas do Banco Mundial. Geralmente, os governadores são ministros de finanças ou de desenvolvimento dos países membros.

Eles se reúnem uma vez por ano nas reuniões das Assembleias de Governadores do Grupo Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Onde entraria Weintraub

Esses governadores delegam deveres específicos a um time de 25 diretores executivos, que formam o Conselho da Diretoria Executiva do Banco Mundial. É esse conselho que vai colocar em ação os planos estabelecidos pela Assembleia de Governadores, executando as ações.

É nesse grupo que o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, vai atuar —se for mesmo aceito para a posição. Como são apenas 25 cadeiras que representam os 190 acionistas da instituição, cada cadeira representa vários países.

No caso da cadeira do Brasil, essa vaga é dividida com Colômbia, Equador, Trinidad e Tobago, Filipinas, Suriname, Haiti, República Dominicana e Panamá. São esses países que precisam validar a indicação de Weintraub.

UOL Economia Explica