PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Mídia e Marketing

Ranking aponta empresas mais engajadas em inovação aberta no Brasil

O "Pulse", hub de inovação da Raízen, 7ª colocada no ranking - Divulgação
O "Pulse", hub de inovação da Raízen, 7ª colocada no ranking Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/08/2020 18h01Atualizada em 26/08/2020 18h57

Natura, ArcelorMittal e BMG são as empresas mais engajadas em inovação aberta no Brasil. O ranking "Top 100 Open Corps" foi anunciado hoje (26), durante a 12ª edição da Oiweek (Open Innovation Week).

Confira abaixo a lista com as 10 primeiras colocadas do estudo e as empresas que ficaram nas primeiras posições em 24 diferentes setores.

Segundo levantamento da 100 Open Startups, plataforma que conecta startups a empresas, 1.635 companhias estabeleceram parcerias com startups em estágio inicial nos últimos 12 meses, com 12.436 negócios realizados.

O número representa um crescimento de 20 vezes em cinco anos de dados apresentados pelo movimento. Em 2016, eram 82 empresas com algum tipo de parceria com startups. Neste ano, são 1.635 companhias com contratos firmados.

Conhecimento, um ativo valioso

"A inovação colaborativa faz parte do DNA da Natura há mais de 20 anos. Metade do que a gente lança vem da colaboração do mundo todo", afirmou João Paulo Ferreira, CEO da Natura &Co América Latina, durante a premiação, realizada de forma online.

"A nova economia nos permitiu ampliar esse horizonte para acessar um dos ativos mais valiosos do mundo, que é o conhecimento. Esperamos continuar contribuindo com o ecossistema de startups do Brasil e do mundo", disse o CEO da empresa de cosméticos, 1ª colocada do ranking deste ano.

"As empresas contam cada vez mais com startups para inovar. Todos os setores da economia já fazem 'open innovation'", declarou Bruno Rondani, presidente da 100 Open Startups.

Segundo Bruno, de todos os relacionamentos firmados, 88% são de startups digitais. "Isso interfere diretamente a transformação digital das empresas. Encontrar as oportunidades é o caminho para criar soluções impactantes", afirmou Bruno.

Entrada no ecossistema de diferentes formas

A entrada no ecossistema das startups pode ser realizado de diferentes formas. "Challenges" (desafios com a apresentação de soluções); "hackathons" (maratonas de soluções a partir de um problema); criação de "hubs" (locais físicos que reúnem diferentes startups, para troca de ideias, informações e networking) e a aceleração (auxílio no desenvolvimento da startup, como investimentos financeiros, mentorias e cursos) são algumas delas.

O ranking "100 Open Startups" conta apenas com empresas com mais de 100 funcionários ou faturamento superior a R$ 100 milhões no ano. Contratos com valores superiores a R$ 500 mil valem mais pontos no ranking deste ano. Confira as 10 primeiras colocadas:

  1. Natura
  2. ArcelorMittal
  3. BMG
  4. EDP
  5. Alelo
  6. BASF
  7. Raízen
  8. Unilever
  9. Nestlé
  10. Accenture

Os setores que mais fazem 'inovação aberta' no Brasil, segundo o levantamento, são os Serviços Financeiros, Energia e Alimentos e Bebidas. O ranking ainda é dividido em 24 setores. Veja o primeiro colocado em cada um deles:

  • Serviços Financeiros: BMG
  • Energia: EDP
  • Alimentos e Bebidas: Nestlé
  • Mineração e Metais: ArcelorMittal
  • Cosméticos: Natura
  • Indústria da Construção: Andrade Gutierrez
  • Varejo: GPA
  • Indústria Química: BASF
  • Serviços de Saúde: Hospital Israelita Albert Einstein
  • Tecnologia da Informação e Serviços: Accenture
  • Bens de Consumo: Unilever
  • Indústria Automotiva: Bosch
  • Serviços de Educação: Cogna
  • Papel e Celulose: Klabin
  • Seguros: Porto Seguro
  • Software: TOTVS
  • Transporte e Logística: Tegma
  • Imobiliário: Cyrella
  • Telecomunicações: Algar Telecom
  • Eletroeletrônicos: Positivo Tecnologia
  • Farmacêutico: Roche
  • Saneamento: Iguá Saneamento
  • Lazer, viagens e turismo: GJP Hotels & Resorts
  • Indústria Digital: Loft

Mídia e Marketing