PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Investimentos sobem 11% no 3º tri, mas participação no PIB ainda é baixa

João José Oliveira

Do UOL, em São Paulo

03/12/2020 09h44

Resumo da notícia

  • Apesar do crescimento no terceiro trimestre, investimento total realizado no Brasil segue baixo
  • Taxa de investimento no 3º trimestre ficou em 16,2% do PIB, abaixo dos 16,3% apurados no mesmo período de 2019
  • Segundo economistas, Brasil precisa alcançar taxa de investimento em relação ao PIB de pelo menos 20%

O PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro do terceiro trimestre teve o investimento como destaque na medição feita pelo lado das despesas —uma das formas de contabilizar o tamanho de uma economia de um país. O indicador sinaliza a capacidade produtiva da economia.

Os investimentos cresceram 11% na comparação com o segundo trimestre, mas caíram 7,8% em relação ao mesmo trimestre do ano passado, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta quinta-feira (3).

No segundo trimestre, no auge da pandemia e das medidas de isolamento, os investimentos haviam despencado 15,2%.

O investimento cresceu mais que as o consumo das famílias, que aumentou 7,6% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre, e que o consumo do governo, que avançou 3,5% na mesma base de comparação. Já exportações de bens e serviços recuaram 2,1% e as importações cederam ainda mais: 9,6%.

Apesar do crescimento de dois dígitos no terceiro trimestre, o investimento total realizado no Brasil segue baixo. Segundo o IBGE, a taxa de investimento no terceiro trimestre de 2020 ficou em 16,2% do PIB, levemente abaixo dos 16,3% apurados no mesmo período do ano anterior.

Segundo economistas, o Brasil precisa alcançar uma taxa de investimento em relação ao PIB de pelo menos 20% para retomar um crescimento de forma sustentável capaz de gerar empregos e sem provocar aumento de inflação.

Já a taxa de poupança foi a 17,3% no terceiro trimestre de 2020, de 13,7% obtidos no mesmo período de 2019. Segundo economistas, esse avanço reflete o impacto positivo dos auxílios emergenciais.

PIB pelo lado da receita

Já pelo lado da receita - outra forma de contabilizar o PIB -, o destaque no terceiro trimestre foi o setor industrial, que avançou 14,8% na comparação com o segundo trimestre, enquanto os serviços subiram 6,3%. Já a agropecuária recuou 0,5%.