PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Governo planeja campanha em TV e rádio para festejar criação de empregos

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

14/12/2020 04h00

O governo prepara uma campanha publicitária para ser veiculada na TV, nas rádios e nos jornais caso o resultado do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de 2020 mostre que o Brasil não perdeu empregos com carteira assinada.

A ideia da equipe econômica é exaltar o eventual resultado positivo em meio à crise econômica decorrente da pandemia do coronavírus. Entretanto, os resultados dos últimos anos para os meses de novembro e dezembro indicam que o país pode fechar o ano com um resultado negativo.

O otimismo do governo leva em conta os últimos resultados do Caged. O Brasil abriu 394.989 vagas de emprego com carteira assinada em outubro, segundo os dados do Ministério da Economia. Esse foi o quarto mês seguido de saldo positivo e o melhor resultado desde 1992, quando foi iniciado o levantamento.

Os números se referem apenas aos empregos formais. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) faz outra pesquisa, que considera todos os empregos, inclusive sem carteira assinada. Essa pesquisa mostra que a taxa de desemprego no país subiu e chegou a 14,6% no terceiro trimestre deste ano, a maior taxa registrada na série histórica, iniciada em 2012. No total, o Brasil tem 14,1 milhões de pessoas desempregadas.

Novembro e dezembro podem não ser bons

A equipe econômica, entretanto, sabe que o resultado positivo pode não se tornar realidade. Em 2020, o balanço do Caged ainda é negativo: nos dez primeiros meses do ano, foram perdidos 171.139 empregos.

"O resultado de novembro teria que ser suficiente para compensar o saldo negativo acumulado do ano e o do mês de dezembro, quando historicamente há um número elevado de demissões. A geração líquida de empregados de novembro teria que ser de pelo menos 450 mil vagas, o que nunca aconteceu na história. O melhor resultado foi registrado em 2009, quando 247 mil empregos foram gerados", disse ao UOL um técnico do governo que acompanha os dados do Caged.

Em novembro de 2019, o Brasil criou 99.232 empregos com carteira assinada. No mês seguinte, 307.311 empregos foram perdidos. Em 2017 e 2018, a perda de empregos em dezembro foi superior a 300.000. Nos anos anteriores, foi ainda maior.

Guedes: ano pode terminar com "desemprego zero"

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem dito publicamente que a economia brasileira está se recuperando em V e que o Brasil pode terminar o ano sem perder empregos.

"A economia brasileira continua retomando em V, em ritmo acelerado. É perfeitamente possível que 2020 seja um ano marcado pela pandemia, que atingiu tragicamente as famílias brasileira e derrubou os empregos, mas reagimos com resiliência. Podemos terminar o ano perdendo zero emprego", declarou Guedes quando os dados do Caged de outubro foram divulgados.

A ideia da equipe de Guedes é comparar o resultado do indicador de emprego brasileiro com o de outros países. Querem mostrar que as políticas adotadas pelo governo, entre elas, a de redução da jornada de trabalho e de salários, ajudaram o país a se sair melhor que os demais.