PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Novo auxílio emergencial em R$ 300 'talvez seja o valor ideal', diz Lira

"Congresso vai ter que ter muita responsabilidade para não mexer nesse valor", disse Lira ao jornal O Globo - Mateus Bonomi/Agência Estado
'Congresso vai ter que ter muita responsabilidade para não mexer nesse valor', disse Lira ao jornal O Globo Imagem: Mateus Bonomi/Agência Estado

Do UOL, em São Paulo

22/02/2021 12h55Atualizada em 22/02/2021 15h04

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que o Congresso não poderá fazer "aquele jogo de pôquer que ficou da outra vez" e deverá, alinhado com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), determinar o valor do novo auxílio emergencial em R$ 300.

"O ministro [da Economia] Paulo Guedes falou em R$ 200 para o novo auxílio, e o presidente Bolsonaro anunciou R$ 300. E o que o presidente anuncia, o governo vai ter que arrumar um jeito de fazer, penso eu", afirmou Lira em entrevista publicada hoje no jornal O Globo.

"Talvez [R$ 300] seja o valor ideal na cabeça de todo mundo. E o Congresso vai ter que ter muita responsabilidade para não mexer nesse valor, para não ficar aquele jogo de poker que ficou da outra vez: 'eu blefo e o outro paga'. Então saiu de R$ 200 para R$ 600", continuou.

Ontem, Bolsonaro se reuniu com o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial, essencial para o governo conseguir pagar novas parcelas do benefício. A tendência é que o novo auxílio emergencial seja pago em quatro parcelas entre R$ 200 e R$ 300.

Além do valor das parcelas, o número de beneficiários do programa também cairia: segundo Guedes, dos cerca de 65 milhões que receberam o auxílio em 2020, agora, com o novo modelo, seriam pouco mais de 30 milhões.

No ano passado, o auxílio começou a ser pago em parcelas de R$ 600, depois reduzidas para R$ 300. Inicialmente, o plano do governo federal era de pagar parcelas de R$ 200, depois aumentadas pelo Congresso para R$ 500. Posteriormente, Bolsonaro elevou para o valor final de R$ 600.

Para Lira, se o auxílio tivesse sido de R$ 300, o benefício poderia ainda estar em vigor.

"Deu um impulso muito forte na economia, deu um pouquinho de inflação em alimentos, commodities, essas coisas, que eu acho que é uma coisa pontual. Mas eu acho que R$ 300 seria um bom número para agora", pontuou.

Expectativas para março

Em tentativa de aceno ao mercado financeiro, Lira ainda anunciou um cronograma de matérias a serem aprovadas no curto prazo. Entre elas, estão as chamadas PECs (Propostas de Emenda à Constituição) Emergencial, que pode viabilizar o pagamento de um novo auxílio, e a do Pacto Federativo, além do Orçamento de 2021.

O presidente da Câmara também espera dar início à tramitação do projeto de reforma administrativa, com previsão de aprovação em plenário ainda antes do fim do primeiro trimestre.

"É assim, com união, força e trabalho do Brasil e do Congresso que iremos fazer um país melhor de verdade", escreveu Lira em uma rede social.

PUBLICIDADE