PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Guedes diz que Bolsonaro deu exemplo e, sem citar, critica Dilma e FHC

Paulo Guedes e Arthur Lira participaram juntos de entrevista - Mateus Bonomi/Agência Estado
Paulo Guedes e Arthur Lira participaram juntos de entrevista Imagem: Mateus Bonomi/Agência Estado

Do UOL, em São Paulo

02/03/2021 20h54

O ministro da Economia, Paulo Guedes, elogiou o presidente Jair Bolsonaro ao falar das medidas econômicas do governo federal. "O presidente Bolsonaro deu um exemplo", afirmou. Ele também aproveitou para criticar, sem citar nomes, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Dilma Rousseff.

"Se ele (Bolsonaro) estivesse pensando só em reeleição, ele não teria feito esse aperfeiçoamento institucional que foi abrir mão do controle sobre a política monetária", disse Guedes, sobre a aprovação da autonomia do Banco Central, em entrevista ao programa 'Os Pingos nos Is', da Jovem Pan.

Ainda defendendo Bolsonaro e as medidas adotadas por ele, o ministro questionou governos anteriores que teriam mudado o foco da política econômica após a reeleição.

"Um [FHC] votou a proposta de reeleição, foi reeleito e logo depois mudou a política cambial. A outra [Dilma] botou o juro baixo até ser reeleita e depois deu o choque de juros. Nós não vamos fazer isso, não tem surpresa conosco", exemplificou o ministro, ao criticar políticas econômicas anteriores.

Executivo e Legislativo estão trabalhando juntos

Em diversos momentos da entrevista, Guedes defendeu que a pandemia afetou menos a economia brasileira do que o previsto e que, após as eleições das presidências da Câmara e do Senado, pautas importantes da agenda econômica foram destravadas.

O discurso está em consonância com o do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que participou dos primeiros minutos da conversa na Jovem Pan. "Só o fato de o presidente da Câmara estar aqui dialogando com o ministro da Economia mostra o quanto o ambiente político mudou", disse Lira.

"O presidente Arthur Lira e o presidente (Rodrigo) Pacheco logo nas primeiras duas ou três conversas deram uma demonstração extraordinária de cooperação com independência", ressaltou Paulo Guedes.

Pandemia foi 'tragédia extraordinária'

Diferente da posição muitas vezes adotada por Jair Bolsonaro de minimizar a pandemia de covid-19, o ministro da Economia se referiu a ela como "a maior tragédia que o povo brasileiro já sofreu".

Ele, porém, disse que o povo brasileiro é "resiliente, um povo forte, um povo que vai conseguir frustrar todas as expectativas que vieram de fora", mais uma vez referindo-se às projeções de recessão econômica e argumentando que o país está se recuperando dos efeitos econômicos da crise sanitária.