PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Mídia e Marketing

UOL e FIA lançam a 2ª edição do Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar

Premiação reconhece as melhores práticas em gestão de pessoas  - UOL
Premiação reconhece as melhores práticas em gestão de pessoas Imagem: UOL

Denyse Godoy

do UOL, em São Paulo

10/03/2021 04h00

Parceria entre a Fundação Instituto de Administração (FIA) e o UOL, o Prêmio Lugares Incríveis Para Trabalhar chega neste ano à sua segunda edição. Empresas que têm a partir de 50 funcionários podem participar - a avaliação é segmentada em pequenas (até 300 funcionários), médias (de 301 a 1500) e grandes (acima de 1500). As principais categorias de premiação são: melhor empresa, melhor liderança e melhor presidente (CEO). As inscrições, gratuitas, estão abertas no site da FIA e vão até 15 de junho.

A gestão de pessoas vive um momento crucial: as empresas que têm uma genuína preocupação com o bem-estar e o desenvolvimento dos colaboradores estão sendo separadas daquelas que ficam só no discurso. Proporcionar (presencialmente ou à distância) um ambiente saudável, agradável e produtivo para os funcionários é um desafio a qualquer tempo - mas, durante uma crise devastadora, merece ainda mais reconhecimento. Esse esforço vai ser um dos destaques do Prêmio Lugares Incríveis Para Trabalhar 2021.

"Na crise mostramos quem realmente somos", diz o professor doutor André Fischer. Junto com o professor doutor Joel Dutra, o estudioso coordena o Progep (Programa de Estudos em Gestão de Pessoas), da FIA, e a pesquisa FIA Employee Experience (FEEx), em que se baseia o prêmio. "Para as companhias que já tinham a cultura de valorizar as pessoas, foi um pouco mais fácil enfrentar as turbulências. Essas organizações podiam fazer uma extensão de práticas já adotadas", afirma Fischer.

Depois de alguns meses de tensão, as empresas conseguiram se reequilibrar, embora o pandemia de covid-19 ainda pareça longe do fim. Quem vai contar como está o novo normal da gestão de pessoas neste início de 2021 são os próprios funcionários, cuja opinião tem o maior peso na pesquisa FEEx. Os colaboradores responderão perguntas sobre quão acessível e receptivo é o CEO, a coerência dos demais líderes e o clima organizacional. Assim, esta se mostra uma boa oportunidade para cada trabalhador fazer ouvir a sua voz. Outro benefício da pesquisa para os profissionais está na possibilidade de usar os resultados para planejar seus próximos movimentos de carreira.

Na disputa por talentos, as empresas genuinamente preocupadas com a satisfação dos colaboradores têm vantagem - e a pesquisa FEEx funciona também como uma ferramenta para as que querem melhorar. A FIA disponibiliza gratuitamente para todas as organizações participantes as notas obtidas e a comparação com companhias de referência. Outras análises podem ser contratadas depois.

Neste ano, o levantamento deve ser ainda mais útil porque, com o home office, muitas companhias andam com dificuldade de capturar plenamente o sentimento dos funcionários e como estão suas relações com os colegas e a liderança. Na pesquisa, perguntas específicas sobre a saúde física e mental dos colaboradores vão jogar luz sobre esse tema e outros que estão no centro das atenções das companhias e dos trabalhadores, como a necessidade urgente de valorizar mais a diversidade nas organizações.

O UOL Economia está fazendo a cobertura editorial da pesquisa e vai publicar, ao longo dos próximos meses, matérias exclusivas sobre o processo de construção de um ambiente organizacional saudável e produtivo, inovações no campo do desenvolvimento profissional e tendências em liderança.

"O sucesso da primeira edição do prêmio, que destacou exemplos inspiradores de gestão de pessoas, mostrou como empresas e trabalhadores estão engajados em buscar modelos e soluções eficientes para lidar com as rápidas transformações nas relações corporativas. O UOL fica muito feliz em fomentar esse debate", diz Murilo Garavello, diretor de conteúdo do grupo.

A pesquisa

A avaliação das companhias tem duas etapas. Na primeira, que vai até 30 de junho, os funcionários respondem anônima e digitalmente um questionário com perguntas sobre o trabalho do CEO, a atuação das demais lideranças e a sua satisfação com o clima organizacional. Ao mesmo tempo, o RH responde outro sobre as práticas de gestão.

Cada um desses quatro temas compõe um indicador. Com peso de 5% para o Índice do CEO, de 5% para o Índice de Liderança, de 60% para o Índice de Clima e de 30% para o Índice de Gestão de Pessoas), é calculado o Índice FIA Employee Experience, que determina a classificação de cada empresa. As que atingem determinadas notas mínimas (confira o regulamento completo no site da FIA) passam para a fase seguinte.

Na etapa final, especialistas apontados pela FIA vão realizar uma auditoria nas empresas classificadas, checando a acuracidade das informações prestadas pelo RH. Os vencedores serão anunciados em um evento organizado pela FIA e pelo UOL em agosto.

Na edição de 2020, o Prêmio Lugares Incríveis Para Trabalhar reconheceu empresas em 12 categorias, incluindo Lugar Mais Incrível Para Estagiários e Ambiente de Inovação Mais Incrível.

O Itaú Unibanco, escolhido Lugar Mais Incrível Para Trabalhar entre grandes empresas no ano passado, diz que o reconhecimento aumentou a atratividade da instituição para os candidatos interessados em participar de seus processos seletivos. "Ficamos felizes por ver que estamos no caminho certo em nossos esforços para fazer do banco um lugar em que as pessoas gostem de trabalhar e tenham a oportunidade de se desenvolver e crescer, como pessoas e como profissionais", afirma Sérgio Fajerman, diretor-executivo de Recursos Humanos do Itaú Unibanco. "Por outro lado, aumenta ainda mais a nossa responsabilidade, pois vivemos um mundo em constante transformação e em que as demandas dos nossos clientes e também das nossas pessoas mudam o tempo todo."

Mídia e Marketing