PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

DF anuncia auxílio emergencial para motoristas de táxi e transporte escolar

Ibaneis Rocha anunciou mais uma leva de auxílio emergencial para taxistas e motoristas de escolares - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Ibaneis Rocha anunciou mais uma leva de auxílio emergencial para taxistas e motoristas de escolares Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

27/04/2021 14h41

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB-DF), decretou uma nova rodada de auxílio emergencial para taxistas e motoristas de transporte escolar. Ao todo, serão 4,5 mil beneficiados com três parcelas de R$ 600.

O pagamento é garantido pelo Projeto de Lei nº 1.862/21. Pelo Twitter, o governador anunciou o auxílio e disse estar planejando algo similar para trabalhadores do turismo.

"O auxílio emergencial para taxistas e motoristas de transporte escolar chega em boa hora e será pago em três parcelas de R$ 600. Agora estudamos a possibilidade de oferecer auxílio similar aos profissionais do turismo, muito afetados pela crise", disse na rede social.

No evento de hoje em que confirmou o benefício para taxistas e motoristas escolares, Ibaneis falou que o total entregue pode não parecer muito. "Mas para quem está nas ruas trabalhando, quem não consegue mais pegar os passageiros há um ano antes da pandemia, sabemos do significado desse valor", afirmou.

O secretário da Economia, André Clemente, ressaltou que o auxílio também moverá negócios pelo DF. "Então, é um bom dia não só para os taxistas e motoristas de transporte escolar, mas para pequenas e grandes empresas que também serão beneficiadas", comentou.

Como pedir o auxílio

Para receber o auxílio, é necessário que os interessados tenham cadastro no Semob (Cadastro de Permissionários/Concessionários da Secretaria de Estado de Transporte e Mobilidade). A inscrição deve ter sido realizada antes do dia 31 de janeiro de 2020.

Além disso, é exigido cadastro no Detran-DF (Departamento de Trânsito do DF), com data anterior a 31 de janeiro de 2020, e não ter dívida ativa no DF.