PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Apagão: Guedes diz que crescimento da economia pressiona setor de energia

"Isso, naturalmente, vai botar alguma pressão", disse o ministro da Economia - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
"Isso, naturalmente, vai botar alguma pressão", disse o ministro da Economia Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

01/06/2021 21h01

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje que o crescimento da economia brasileira, atestado pelo resultado do PIB do primeiro trimestre divulgado hoje, vai pressionar o setor de energia, já ameaçado pelo risco de apagão por causa de uma seca histórica nos reservatórios das hidrelétricas.

Apesar de comemorar o crescimento de 1,2% do PIB nos primeiros três meses do ano, Guedes admite que a consequência será uma pressão maior sobre o setor que tem a gerência do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Isso [crise hidrológica] o Ministério de Minas e Energia está atento. Agora, nós vamos crescer, e isso, naturalmente, vai botar alguma pressão.
Paulo Guedes, ministro da Economia

O ministro deu a declaração em entrevista à CNN Brasil, quando perguntando sobre a crise hidrológica pela qual o país passa. Guedes aproveitou para sugerir que a saída pode ser realizar mais privatizações.

"Isso vai mostrar, por exemplo, que devemos privatizar a Eletrobras. O Brasil está, no setor elétrico, num imbróglio que foi criado em regimes [governos] passados", disse o ministro.

Para Guedes, a seca histórica nas represas das hidrelétricas se assemelha com a chegada da pandemia de covid-19 ao Brasil, em março do ano passado.

Agora temos o problema do regime de chuvas, não controlamos isso, é uma variável completamente inesperada, como foi a pandemia também, tem o regime de climas, mudanças climáticas, isso está nos atingindo.
Paulo Guedes, ministro da Economia

Diante do crescimento do PIB e da expectativa de pressão sobre o setor elétrico, a Aneel admite que investimentos terão que ser feitos, principalmente em linhas de transmissão e geração.