PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Ambev, Carrefour e outras gigantes criam projeto de R$ 45 mi contra racismo

Divulgação
Imagem: Divulgação

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/06/2021 04h00Atualizada em 08/06/2021 19h35

Quarenta e cinco empresas de diferentes setores lançam nesta terça-feira (8) uma iniciativa para combater o racismo no país, o "Mover - Movimento pela Equidade Racial. Participam companhias como Ambev, Coca-Cola, Carrefour e Nestlé.

A iniciativa promete capacitar três milhões de pessoas para novos empregos, além de gerar 10 mil novas posições de liderança para pessoas negras até 2030.

As empresas signatárias do movimento se comprometeram a fazer parte da coalizão nos próximos três anos. O movimento receberá um investimento de cerca de R$ 45 milhões até 2024.

A ideia da coalizão surgiu após o assassinato de João Alberto de Silveira Freitas em uma loja do Carrefour, em novembro do ano passado —a rede francesa está entre as signatárias.

Segundo Marcelo Zimet, CEO da L'Oréal e um dos porta-vozes da ação, muitas empresas possuem iniciativas próprias de equidade racial, e elas podem ser potencializadas se trabalhadas em conjunto.

"Hoje são 45 companhias, desde indústria até o varejo, que compartilham os mesmos valores. Juntos, podemos fazer muito mais. Nosso objetivo é ser ainda maior. Pensamos em chegar ao triplo de empresas que temos hoje no movimento", afirma o executivo.

Fazem parte da iniciativa: Alcoa, Aliansce Sonae, Align, Ambev, Americanas, Arcos Dorados (Mc Donald's), Atento, Bain & Company, BRF, Cargill, Coca-Cola Brasil, Colgate-Palmolive, CSN, Danone, Descomplica, DHL, Diageo, Disney, EF, General Mills, Gerdau, GPA, Grupo Carrefour Brasil, Heineken, JBS, Kellogg's, Klabin, Kraft Heinz, L'Oréal Brasil, Lojas Renner, Magazine Luiza, Manserv, Marfrig, Mars, Michelin, Mondelëz, Moove, Nestlé, Grupo Boticário, Pepsico, Petz, Sodexo, Tenda, Vale e Via (ex-Via Varejo).

As 45 empresas empregam cerca de 1,2 milhão de pessoas. O Mover ainda terá parceria com as consultorias Bain & Company e Barbosa, Raimundo Gôntijo Câmara Advogados e as agências de relações públicas e conteúdo InPress Porter Novelli e Oliver Press.

Ações de capacitação e treinamento

A iniciativa envolverá mudanças nos processos e estruturas das empresas, além de investimentos em capacitação, treinamento e geração de empregos.

O movimento pretende trabalhar em três pilares: "liderança", "emprego e capacitação" e "conscientização". No primeiro, as empresas signatárias se comprometem a criar um total de 10 mil novas posições para pessoas negras em cargos de liderança (como supervisores, coordenadores, gerentes e diretores) até 2030.

No pilar de "emprego e capacitação", as ações planejadas pretendem gerar oportunidade para três milhões de pessoas, por meio da oferta de cursos e rede de relacionamento com empreendedores negros.

No último pilar, o movimento pretende ser uma ferramenta de apoio na conscientização quanto ao racismo. A iniciativa pretende realizar campanhas publicitárias sobre o tema, além de desenvolver um guia de comunicação para todas as empresas.

Resultados serão analisados em ciclos de três anos

Os resultados das ações serão analisados em ciclos de três anos, com grandes reuniões e relatório a cada seis meses.

"Teremos uma definição bem clara de métricas e objetivo, com um time administrativo que fará a gestão do dia a dia. Será um grande processo de aprendizado. O movimento quer causar grande impacto na sociedade", diz o CEO da L'Oréal.

"São metas ambiciosas e pretendemos executar o plano de ação com o máximo de excelência, para que a próxima geração possa receber um país melhor. As pessoas esperam organizações mais responsáveis", diz o executivo.

PUBLICIDADE