PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Caixa anuncia datas da 5ª, 6ª e 7ª parcelas do auxílio; veja calendário

Eliane Neves/Estadão Conteúdo
Imagem: Eliane Neves/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

12/08/2021 17h35

O governo federal anunciou hoje as datas de pagamento das três últimas parcelas do auxílio emergencial, em agosto, setembro e outubro.

Em novembro entrará em vigor o Auxílio Brasil, programa social do governo que substituirá o Bolsa Família.

Segundo o ministro da Cidadania, João Roma, a quinta, sexta e sétima parcelas de 2021 corresponderão a cerca de R$ 20 bilhões. Ele também disse que, por enquanto, não há previsão para uma nova prorrogação.

O pagamento seguirá a mesma organização que já vinha sendo adotada, começando pelos beneficiários do Bolsa Família, que receberão de acordo com o número final do NIS (Número de Identificação Social). No caso dos trabalhadores em geral, o calendário segue o mês de aniversário.

Calendário da 5ª parcela

5 parcela do auxilio emergencial conjunta - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Calendário da 6ª parcela

6 parcela do auxilio emergencial conjunta - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Calendário da 7ª parcela

7 parcela do auxilio emergencial conjunta - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Quem pode receber?

É preciso atender uma série de critérios para receber o novo auxílio:

  • ter recebido o auxílio emergencial em 2020
  • ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família
  • ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300)
  • ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

Como saber se vou receber?

Há três canais para consultar se terá direito:

Qual é o valor do auxílio?

Dependerá da condição de cada benefício:

  • Para quem mora sozinho: R$ 150
  • Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250
  • Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375

Como é o pagamento?

O governo deposita o dinheiro nas contas digitais gratuitas abertas pela Caixa em nome dos beneficiários do auxílio no ano passado. O dinheiro pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem.

Primeiro, a pessoa recebe o depósito e só consegue usar o dinheiro para compras e pagamento de contas. O saque do dinheiro só é disponibilizado semanas mais tarde.

Quem não pode receber?

Não têm direito, segundo o governo:

  • trabalhadores formais, com carteira assinada
  • quem recebe benefício do INSS ou de programa de transferência de renda federal
  • quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem usou o dinheiro
  • quem estiver com auxílio emergencial 2020 cancelado no momento da análise cadastral do novo auxílio
  • residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares
  • pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes
  • presidiários
  • quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019
  • quem tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil
  • quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil

Como faço para pedir o auxílio?

Não é possível pedir o benefício. No ano passado, o governo disponibilizou um aplicativo e um site para o trabalhador se cadastrar e solicitar o auxílio.

Neste ano, o governo vai usar o cadastro feito no ano passado. Se avaliar que o trabalhador atende os critérios, pagará o benefício automaticamente, sem que o trabalhador tenha que fazer nada para receber.

PUBLICIDADE