PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Hang apoia volta do horário de verão, que foi cancelado por Bolsonaro

Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan.  -  Reprodução / Facebook
Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan. Imagem: Reprodução / Facebook

Do UOL, em São Paulo

30/08/2021 17h20

Em meio a crise hídrica e com risco de apagão, o empresário e dono das lojas Havan, Luciano Hang, defendeu hoje a volta do horário de verão, cancelado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No post, publicado em suas redes sociais, Hang não cita o nome do chefe de Executivo.

"Neste momento, em que o maior programa social que existe é o emprego, temos que incentivar ainda mais medidas que impulsionem a economia brasileira. O retorno do horário de verão é uma estratégia muito importante que trará benefícios para toda a sociedade", diz trecho do texto. "Hoje, mais de 70 países utilizam a medida, demonstrando que ela influencia sim, positivamente, para a economia. Além disso, neste período em que enfrentamos uma crise hídrica, este artifício também é uma maneira de economizarmos energia elétrica. Eu apoio!", acrescenta.

A extinção do horário de verão foi uma das primeiras ações do governo Bolsonaro, tomada por decreto em abril de 2019. A decisão foi baseada em recomendação do Ministério de Minas e Energia, que apontou pouca efetividade na economia energética, e estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

O pedido de Hang segue o movimento encabeçado por grupo de empresários que representam setores de turismo, como CNTur e Feturismo, conforme apuração do jornal Folha de S.Paulo. Eles argumentam que o retorno pode beneficiar o turismo nacional, estendendo o horário das atividades ligadas ao setor, além de representar uma economia na energia elétrica diante da preocupação com a crise hídrica.

Em junho, Bolsonaro foi abordado por um apoiador que disse que há quem queira o retorno da medida, mas, na ocasião, o presidente descartou a possibilidade. "Não, o horário de verão foi comprovado que não tem ganho financeiro e a maioria é contra porque mexe no relógio biológico", argumentou Bolsonaro.

PUBLICIDADE