PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Trevisan: Bancar Auxílio Brasil com alta no IOF pode causar instabilidade

Colaboração para o UOL

17/09/2021 18h35

Em participação ao UOL News da noite de hoje, a colunista Maria Carolina Trevisan repercutiu a pesquisa feita pelo Datafolha e divulgada hoje em que mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva bate o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por 56% a 31% na corrida eleitoral de 2022.

Na avaliação de Trevisan, como Bolsonaro perdeu muito apoio dos evangélicos e de parte do agronegócio, ele quer inflar o Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família, aumentando o imposto do IOF, o que pode causar mais instabilidade para o país.

"O presidente continua perdendo a aprovação, e a sua reprovação é recorde mais uma vez. Desde dezembro de 2020 é que ele tem essa tendência de aumento da reprovação. Isso dá aquele certo desespero em Bolsonaro, e quando ele fica desesperado, faz coisas que são um pouco extremas e nunca são muito boas e coerentes com o que o Brasil precisa", analisou Trevisan.

"[O aumento do imposto do IOF] Pode ser também uma armadilha, porque pode causar mais instabilidade num país que já tem uma inflação muito alta. Os mais pobres sentem isso em casa, nos alimentos, a fome tem aumentado e todo mundo consegue enxergar isso. Só não enxerga aquelas pessoas que não se sentem parte da sociedade porque não sentiram que perderam dinheiro."

Com relação ao desempenho de Lula na pesquisa, Trevisan acredita ser muito cedo para definir cenários eleitorais.

"Ele está na frente, o PT está se preparando para participar dessa eleição com vantagem e economistas ligados ao partido têm falado sobre o que seria uma política econômica menos agressiva para a área mais liberal da economia."

PUBLICIDADE