PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Em discurso similar ao de Bolsonaro, Ciro critica lucros da Petrobras

9.out.2019 - O ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), em entrevista - Pedro Ladeira/Folhapress
9.out.2019 - O ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), em entrevista Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em São Paulo*

29/10/2021 10h51Atualizada em 29/10/2021 12h45

O pré-candidato ao Planalto pelo PDT, Ciro Gomes, criticou hoje os lucros da Petrobras em meio a alta dos preços dos combustíveis. O presidenciável fez discurso similar ao do seu adversário Jair Bolsonaro (sem partido), que ontem defendeu que a estatal tem um "viés social" e que, por isso, não tem que ser uma empresa que dá um lucro muito alto, "como tem dado". Segundo a assessoria do PDT, Ciro já tinha essa visão antes de o presidente ter feito crítica semelhante. O pedetista também disse ser contra a privatização da estatal.

A Petrobras teve lucro de R$ 31,14 bilhões no terceiro trimestre deste ano, segundo balanço divulgado há pouco pela empresa. No mesmo período de 2020, a estatal havia registrado prejuízo de R$ 1,5 bilhão.

"Os números do balanço do último trimestre da Petrobras, divulgados ontem, são um tapa na cara de cada brasileiro e uma punhalada profunda no coração dos mais pobres", escreveu o político no Twitter.

Para Ciro, os "lucros gigantescos — imediatamente distribuídos aos acionistas — agridem, zombam, humilham milhões de pessoas que pagam o combustível mais caro da história enquanto poderosos acionistas se banqueteiam".

Hoje, às vésperas de greve de caminhoneiros, o Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou o congelamento do valor do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) cobrado nas vendas de combustíveis por 90 dias, informou o Ministério da Economia.

Em um discurso em prol da estatal, Ciro declarou que o Brasil sua em real para pagar "o festim dos magnatas em dólar" e disparou: "Construímos a Petrobras com nossos impostos e a riqueza do nosso subsolo e estamos entregando tudo isso a eles de bandeja. Abaixo a política genocida do preço dos combustíveis atrelado ao dólar! O Petróleo é nosso! A Petrobras é nossa! Queremos ela de volta!".

O político ainda declarou que "não podemos entrar no jogo deles que querem que odiemos a Petrobras. Temos, sim, que tomá-la de volta e colocá-la no seu verdadeiro rumo".

Ciro é contra a venda da Petrobras

Apesar de falar em um "jogo", o político do PTD não informou quem estaria fazendo o povo "odiar" a estatal, mas dois dias antes ele classificou a intenção de venda por parte do presidente de "estratégia maligna", que serve para atender interesses internacionais.

No mesmo dia, em entrevista à TV Jovem Pan News, Bolsonaro voltou a falar que considera privatizar a Petrobras. Segundo ele, a estatal só serve para lhe dar "dor de cabeça" e para prestar serviço a acionistas. Essa foi a terceira vez só em outubro que Bolsonaro cogitou a possibilidade de vender a estatal.

*Com informações do Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE