PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Prévia da inflação desacelera para 0,58% em janeiro, com queda da gasolina

Do UOL, em São Paulo

26/01/2022 09h04Atualizada em 26/01/2022 12h23

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), desacelerou para 0,58% em janeiro, após registrar alta de 0,78% em dezembro. O resultado foi influenciado principalmente pela queda no preço da gasolina. Os alimentos, no entanto, registraram alta.

Nos últimos 12 meses, a variação do IPCA-15 foi de 10,2%. Em janeiro de 2021, a taxa registrada foi de 0,78%. Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A meta do Banco Central para a inflação neste ano é de 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Ou seja, variando entre 2% e 5%.

Preço da gasolina e passagens aéreas caem

O grupo dos transportes foi o único dos nove de produtos e serviços pesquisados que registrou desaceleração no mês (-0,41%), com a queda nos preços da gasolina (-1,78%) e das passagens aéreas (-18,21%). O etanol (-3,89%) e o gás veicular (-0,26%) também tiveram variações negativas.

Segue a lista completa dos grupos pesquisados pelo IBGE:

  • Alimentação e bebidas: 0,97%
  • Habitação: 0,62%
  • Artigos de residência: 1,4%
  • Vestuário: 1,48%
  • Transportes: -0,41%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,93%
  • Despesas pessoais: 0,63%
  • Educação: 0,25%
  • Comunicação: 1,09%

Cebola e frutas sobem

Segundo o IBGE, a alimentação no domicílio passou de 0,46% em dezembro para 1,03%. Os maiores impactos vieram da cebola, que registrou alta de 17,09%, das frutas (7,10%), do café moído (6,5%) e das carnes (1,15%).

Foram registradas queda nos preços da batata-inglesa (-9,2%), do arroz (-2,99%) e do leite longa vida (1,7%). Os preços desses itens já haviam recuado em dezembro (-6,46%, -2,46% e -3,75%, respectivamente).

Aluguel residencial tem alta

O maior impacto no grupo de habitação veio do aluguel residencial, que registrou alta de 1,55%. O IBGE também destacou a variação do gás encanado (8,4%), consequência do reajuste de 17,64% em São Paulo (15,03%), vigente desde 10 de dezembro.

Já a energia elétrica teve variação de 0,03%, desacelerando frente a dezembro (0,96%).

Metodologia

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados entre 14 de dezembro e 13 de janeiro de 2022 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 13 de novembro a 13 de dezembro de 2021 (base).

O indicador refere-se a famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.

A metodologia é a mesma do IPCA, diferindo apenas no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.