PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Após 7 altas seguidas, Ibovespa tem queda por tensão entre Rússia e Ucrânia

19.out.2021 - Dia de pregão na Bolsa de Valores do Brasil (B3) - Amanda Perobelli/Reuters
19.out.2021 - Dia de pregão na Bolsa de Valores do Brasil (B3) Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/02/2022 14h40

As tensões entre a Rússia e a Ucrânia têm atingido diversos aspectos da política e economia mundial há semanas, mas hoje a ameaça de conflito resultou em uma queda significativa no Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), que vinha de sete altas consecutivas.

O índice fechou o dia em baixa de 1,43%, aos 113.528,48 pontos —mesmo assim, a diferença semanal demonstrou estabilidade e a anual subiu 8,31%.

Siderúrgicas e mineradoras foram as que mais puxaram o índice para baixo. Entre as mais afetadas estão Gerdau, em redução de 5,32%; Usiminas, com queda de 4,07% e Siderúrgica Nacional, com queda de 5,85%.

Além do Ibovespa, índices internacionais sofreram queda hoje, devido ao crescente medo de um conflito armado entre a Rússia e a Ucrânia. No início da tarde, o Dow Jones tinha queda de 1,41%, S&P500 apresentou baixa de 1,38% e o Nasdaq teve diminuição de 1,62%.

Ucrânia diz ter sofrido ataque da Rússia

Hoje de manhã, a Ucrânia afirmou que um ataque russo atingiu um jardim de infância na cidade Luhansk, localizada no leste ucraniano e dominada por rebeldes. Imagens mostram um buraco na parede e destroços dentro do prédio.

Segundo o governo da Ucrânia, não há registro de mortos, mas dois adultos sofreram concussões. O porta-voz das forças armadas da Ucrânia, Pavlo Kovalchuk, informou ao site Sky News que o ataque foi realizado às 9h05 (horário local), por membros de uma ocupação russa.

Kovalchuk disse que outras infraestruturas da cidade também foram danificadas após o ataque. "Vimos um aumento na quantidade de bombardeios e no calibre dos projéteis usados, mas a situação está sob controle".

Retirada de soldados russos

Os Estados Unidos acusaram a Rússia de enviar mais 7 mil soldados para a fronteira com a Ucrânia nos últimos dias, embora Moscou tenha anunciado que está retirando os militares.

A informação é dos canais norte-americanos CNN e Sky News, que atribuíram a fala a um funcionário do alto escalão do governo. Segundo os veículos, essa pessoa teria dito que as promessas russas de desmobilizar as tropas são falsas.

No entanto, o Kremlin anunciou nesta quinta-feira que iniciou a retirada de mais soldados da fronteira com a Ucrânia. Mesmo assim, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse hoje que a chance de a Rússia invadir a Ucrânia nos próximos dias é "muito alta".

Biden afirmou aos repórteres, quando saía da Casa Branca, que não há nenhuma intenção de telefonar para o presidente russo, Vladimir Putin, neste momento.