PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

PT pede investigação ao MP das obras em casa de Guimarães pagas pela Caixa

Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal - Marcos Corrêa/PR
Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal Imagem: Marcos Corrêa/PR

Do UOL, em São Paulo

05/07/2022 18h47Atualizada em 05/07/2022 19h13

O PT (Partido dos Trabalhadores) pediu uma investigação ao MP (Ministério Público) em relação às denúncias de que obras na mansão do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães foram pagas pelo banco estatal.

Segundo informou o jornal Folha de S.Paulo, as intervenções foram feitas em julho de 2020 por quatro funcionários de uma empresa que mantém contratos com o banco público para realização de serviços de manutenção em seus prédios e agências. Relato de servidores da Caixa diz que o custo foi de aproximadamente R$ 50 mil. Guimarães deixou o comando do banco após denúncias de funcionárias, que o acusaram de assédio sexual.

Diante dos fatos apresentados pela reportagem, nota-se que a prática efetuada não se trata de caso isolado, mas sim de fato corriqueiro evidenciando claramente a total inobservância aos princípios mais basilares da Administração Pública, em especial o da moralidade. Trecho de documento assinado pelo senado Humberto Costa

"Assim, rogo a Vossa Excelência que seja dado início a procedimento que entender mais adequado para promover a apuração de eventual ato de improbidade administrativa nos termos da Lei 8.429/92 dado o flagrante prejuízo causado ao Erário em virtude de pagamento supostamente indevido realizado pela instituição financeira", acrescenta, em seguida.

À Folha, o criminalista José Luis Oliveira Lima, que faz a defesa de Guimarães, confirmou a realização das melhorias e disse que elas foram autorizadas pelo setor de segurança após supostas ameaças recebidas pelo ex-presidente do banco.

A Caixa também confirmou as obras, mas disse que elas estão relacionadas à segurança do então presidente e que são previstas em normas internas.