PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Pior momento da inflação passou, mas os preços não vão cair para você

BC aumentou a taxa básica de juros para controlar a inflação do país -  Emil Kalibradov/Unsplash
BC aumentou a taxa básica de juros para controlar a inflação do país Imagem: Emil Kalibradov/Unsplash

Giuliana Saringer

Do UOL, em São Paulo

13/07/2022 04h00

O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, afirmou no final de junho que o pior momento da inflação já passou. Apesar de ser uma boa notícia, os especialistas ouvidos pelo UOL dizem que isso não significa que os preços vão cair e aliviar o bolso do brasileiro.

O que vai acontecer? O índice da inflação deve ser menor na comparação com meses anteriores, e algumas coisas até podem baixar de preço. Mas, de forma geral, os preços vão continuar subindo, só que num ritmo mais lento.

Silvio Campos Neto, economista e sócio da Tendências Consultoria, afirma que os picos de inflação registrada em março e abril deste ano não devem acontecer de novo —a inflação foi de 1,62% em março e de 1,06% em abril. Na prática, os índices de inflação devem ser mais baixos.

De acordo com o último dado oficial, a inflação de junho foi de 0,47% no mês e acumula alta de 11,89% nos últimos 12 meses.

O que muda na minha vida? Isso tudo não significa que o brasileiro vai estar em uma situação financeira confortável no curto prazo. Na prática, dizer que o pior momento da inflação já passou quer dizer que os preços não vão subir tanto.

Os preços continuam aumentando, mas, quando falamos que o pior da inflação já passou, estamos nos referindo à velocidade dos aumentos dos preços. Não vamos ter deflação no Brasil, afirma Mauro Rochlin, professor de MBAs da FGV (Fundação Getulio Vargas).

O que pode reduzir a inflação? Para os especialistas ouvidos pelo UOL, as mudanças em impostos adotadas pelo governo federal. como a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nos estados para os combustíveis, podem ajudar a reduzir a inflação no curto prazo.

A redução do imposto vale até o final deste ano, o que significa que no ano que vem os preços devem voltar a subir com o retorno dos impostos.

O que pode piorar a inflação? O dólar pode se valorizar, e isso aumenta a inflação por causa de produtos importados consumidos diretamente pelas pessoas e de custos nas empresas que trabalham com matéria-prima de fora. O preço internacional do petróleo e de outras commodities (como alimentos) também pode atrapalhar. Mas por enquanto devemos perceber um alívio da inflação no segundo semestre, diz Cristiane Quartaroli, economista do Banco Ourinvest.

Algumas situações que fazem o dólar subir são a inflação global, a guerra entre Ucrânia e Rússia, os gastos públicos com liberação extra de verba do governo para auxílios sociais e a alta dos juros nos Estados Unidos.