IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Desemprego fica em 8,4% em janeiro e atinge 9 milhões de brasileiros

Carteira de trabalho, desemprego - ADRIANA TOFFETTI/ATO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Carteira de trabalho, desemprego Imagem: ADRIANA TOFFETTI/ATO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

17/03/2023 09h02Atualizada em 17/03/2023 09h40

A taxa de desemprego no país ficou em 8,4% no trimestre encerrado em janeiro, informou nesta sexta-feira (17) o IBGE.

O que aconteceu

  • A taxa de 8,4% representa uma estabilidade na comparação com o trimestre anterior, encerrado em outubro de 2022, quando ficou em 8,3%. É a menor para o período (novembro a janeiro) desde 2015.
  • O número de brasileiros desempregados no trimestre foi de 9 milhões. O contingente é o mesmo registrado no trimestre anterior, mas com queda de 3 milhões de pessoas na comparação anual, quando havia 12 milhões de pessoas desocupadas no país.
  • A população ocupada chegou a 98,6 milhões. Houve queda de 1% (menos 1 milhão de pessoas) nante o trimestre anterior e alta de 3,4% (mais 3,2 milhões) em um ano.
  • O rendimento médio foi de R$ 2.835. Cresceu 1,6% no trimestre e 7,7% no ano.

Diferença entre Pnad e Caged

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) são do governo federal. Os números se referem apenas a contratos regidos pela CLT, e são as próprias empresas que preenchem as informações em um sistema próprio.

Já a Pnad do IBGE é mais ampla, e compreende o mercado de trabalho informal. O levantamento é feito com entrevistadores, que perguntam sobre a situação de trabalho de uma amostra da população.

Metodologia

A Pnad Contínua é o principal instrumento para monitoramento da força de trabalho no país. A amostra da pesquisa por trimestre no Brasil corresponde a 211 mil domicílios pesquisados. Cerca de dois mil entrevistadores trabalham na pesquisa, em 26 estados e no Distrito Federal.