IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Vale a pena ter conta internacional em dólar? Veja os riscos e as vantagens

Conta em dólar reduz custo de viagem e de compras em sites; como funciona? - Getty Images
Conta em dólar reduz custo de viagem e de compras em sites; como funciona? Imagem: Getty Images

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

03/04/2023 04h00

As contas internacionais permitem usar um cartão de crédito ou débito em dólar. São úteis para quem viaja muito, quem produz conteúdo em sites estrangeiros e quem quer outras opções em investimentos. Mas valem a pena ou melhor utilizar cartão? Veja vantagens e desvantagens.

Quais são as vantagens de uma conta internacional

É útil para quem viaja muito. É mais barato do que usar o seu próprio cartão de crédito internacional.

A grande utilidade é poder fazer compras no exterior pela internet pagando menos IOF. Com cartão internacional, o imposto é de 1,1%. Com cartão do Brasil, o valor pode chegar aos 6%.

Uma utilidade é para quem produz conteúdo para internet. O YouTube, por exemplo, não paga em real, só em dólar, diz Ricardo Brasil, fundador da Gava Investimentos, especialista em análise financeira.

Taxas bancárias são menores. Essa modalidade é recomendada para quem precisa transacionar com o exterior, por exemplo, tem negócios, casa ou conhecidos fora do Brasil e, portanto, possui pagamentos e recebimentos regulares em moeda estrangeira.

Oferece outras opções de investimentos. A conta investimento, que funciona como as contas de corretoras no Brasil, disponibiliza investimentos que não existem no Brasil. Ela pode ser aberta numa corretora estrangeira e só permite investimentos em renda variável, fixa e ativos em bolsa de valores.

Como funciona

O processo de abertura de contas em dólar é todo feito com o celular. Você precisa ter documentos de identificação válidos, como RG, CPF ou CNH.

Dinheiro em dólar e em real não se misturam. O saldo em dólar aparece no aplicativo, em uma área separada da interface da conta em reais.

Onde fica o dinheiro? A conta internacional mantém um saldo em moeda estrangeira e os depósitos ficam comumente alocados nos Estados Unidos.

Eu transfiro dinheiro e escolho qual moeda quero? Sim. Mas, no Brasil, só a Wise oferece uma conta com opções além de euro e dólar.

Qual cotação é usada? A cotação é do dia em que você transferir o dinheiro para a conta internacional e comprar as moedas internacionais. No entanto, a valorização ou desvalorização dos seus investimentos é diária. Por isso Ricardo Brasil é contra a realização de investimentos com contas em dólar. "Não é um bom negócio, a menos que seja para comprar ações nos EUA, por exemplo."

Quais são as taxas

As contas internacionais têm cobrança menor de IOF. Custa 1,1% para transferir recursos e 0,38% para resgatá-los. O valor do spread ou tarifa cobrado para fazer a conversão de câmbio varia de 1% a 2%.

No cartão pré-pago carregado com moedas estrangeiras e no cartão de crédito normal, é mais caro. O IOF é de 5,38% em 2023. Será reduzida gradativamente a cada até até chegar a zero em 2028.

No caso do dinheiro vivo, o IOF é de 1,1% e é cobrado no momento da compra da moeda.

É arriscado?

O mais importante é verificar, junto ao BC (Banco Central), se o banco ou a corretora contratados têm autorização operar no Brasil. Atualmente, Avenue Banking, bs2GO!, C6 Conta Global, Inter Global Account, Nomad, e Wise oferecem o serviço no país.

Outro risco é a variação cambial. É possível que, se seu saldo estiver em dólar, ele perca ou ganhe valor em real, em caso de variação do câmbio.

Declare à Receita. É importante lembrar que os registros de saldo devem ser informados na declaração de Imposto de Renda, caso contrário, pode ser caracterizado crime de evasão de divisas.

Há o risco cambial em si, ou seja, os saldos em dólares podem perder valor em reais em caso de valorização do câmbio. É importante lembrar que a remessa dos dólares para o exterior precisa ser feita por meio de agente autorizado, e as contas e saldos devem ser informados na declaração de IR para evitar evasão de divisas
Rodolfo Olivo, professor da FIA Business School

Veja algumas opções

Avenue: conta Avenue Banking, em dólar. Cartões físico e virtual estão habilitados para saques em diversos países. É possível solicitar cartão físico diretamente pelo app.

bs2 - bs2GO!, em dólar. Há possibilidade de carregar a conta em reais, com conversão em momento oportuno. Não há opção de saques gratuitos nem conta investimento.

C6: Conta Global, em dólar e euro. Os saques podem ser feitos nos caixas da rede Cirrus no exterior. O valor mínimo de transferência para a C6 Conta Global é de US$ 20 ou 20 euros. O cartão tanto em dólar quanto em euro poderá ser utilizado em qualquer país do mundo em outras moedas, sendo convertidas para a moeda do cartão (dólar ou euro).

Inter - Global Account, em dólar. A transferência é gratuita para outras contas no exterior, e o e recebimento gratuito de outras contas nos EUA. Oferece cartão de débito internacional e permite saques em rede de caixas eletrônicos credenciada.

Nomad, em dólar. Os saques e os recebimentos são gratuitos. É possível adicionar saldo na conta, via Pix ou TED. É só pegar os dados da conta Nomad no aplicativo e realizar a transferência no banco nacional de preferência e depois converter o saldo para dólares.

Wise. Tem 53 moedas disponíveis, como dólar americano, australiano, canadense, neozelandês, de Singapura e de Hong Kong; euro; libra esterlina; yuan; iene; e peso argentino. Tem um dos câmbios mais baratos e a possibilidade de fazer saques gratuitos. Não tem conta investimento.

Revolut. Oferece mais de 30 moedas, sem custo de abertura de conta, taxas de iOF de 1.1% e spread de 1%. Oferece cartões físicos, virtuais e descartáveis, compatíveis com carteiras virtuais. Permite saques de até R$ 1,6 mil, transferências internacionais gratuitas entre clientes, divisão de contas, controle de orçamento, análise de gastos, arredondamento de troco e sistema avançado de prevenção de fraudes.

PUBLICIDADE
Errata: este conteúdo foi atualizado
Diferentemente do inicialmente informado na reportagem, o Banco Inter oferece sim cartão de débito internacional e o cliente pode também fazer saques com o cartão. A cotação usada é a do dia em que o dinheiro for transferido para a conta internacional, e não do dia em que você usar esse dinheiro no país. O valor mínimo da transferência para o C6 também estava incorreto. As informações foram corrigidas.