IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Governo vai abrir até 2.000 vagas em concursos nesta semana, diz ministra

Esther Dweck, ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos -  O Antagonista
Esther Dweck, ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos Imagem: O Antagonista

Do UOL, em São Paulo

30/04/2023 16h15

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, afirmou em entrevista ao jornal Correio Braziliense que o governo lançará nesta semana a primeira parte de um pacote de concursos federais.

O que foi anunciado

Na primeira parte do pacote serão ofertadas de 1.500 a 2.000 vagas. Outras 500 vagas de carreiras transversais de analistas de políticas sociais, de infraestrutura e de tecnologia da informação também serão incluídas.

O pacote não inclui as universidades. Ela lembrou que já existe um grande concurso sendo preparado para o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que ainda está sendo fechado, além de outro pacote para cargos em ministérios.

A segunda parte do pacote vai contemplar os ministérios da Educação, do Planejamento e do Trabalho. A intenção é abrir outras 2.000 vagas até o fim de maio, somando 4.000 novos cargos públicos no Executivo federal.

O que disse a ministra

Para reduzir custos, eles [governo Bolsonaro] fizeram muitos concursos para nível médio. (...) Achamos que algumas carreiras precisam ser de nível médio, como é o caso da Funai, mas temos uma tendência a priorizar mais as demandas por nível superior.
Ester Dweck, ministra

A ministra disse que avalia alguns critérios para a abertura de novos concursos:

  1. Quanto tempo não tem concurso;
  2. Quantas pessoas se aposentaram ou saíram nos últimos tempos;
  3. Quantos estão para se aposentar nos próximos cinco anos;
  4. Se a área já era prioritária para o governo;
  5. Se teve alguma mudança de estrutura relevante que demande mais gente.

Ela afirmou que terá até 31 de maio para responder aos órgãos federais sobre os concursos que serão autorizados ainda este ano.

Maio será um mês relevante para nós, porque será a resposta final dos órgãos sobre os pedidos para o próximo ano.
Esther Dweck, ministra