IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Vídeo: Mulher diz que achou 'corpo estranho' em molho de tomate da Fugini

Do UOL, em São Paulo

26/05/2023 13h04

Uma mulher disse que encontrou um "corpo estranho" em uma embalagem de molho de tomate da marca Fugini, em Primavera do Leste, no interior do Mato Grosso.

O que aconteceu?

Maria Elaine publicou um vídeo em que mostra um "corpo estranho" que estava em um molho de tomate da marca. Maria afirma nas imagens que havia um "olho de animal" na embalagem. Segundo ela, o caso ocorreu na última sexta-feira (19).

Ela realizou a denúncia ao Procon do município na terça-feira (23) e diz esperar pelas apurações. Ontem, agentes recolheram mais dois produtos da marca comprados por ela para análise.

A validade do produto é de até março de 2024, segundo o vídeo.

Ainda não há provas da relação entre o 'corpo estranho' e a embalagem. Segundo o Procon, será feita, junto à Vigilância Sanitária, a interdição do lote no estabelecimento em que o produto foi comprado e o recolhimento de amostras para análise em laboratório.

Em nota, a Fugini afirma que a produção, enchimento e fechamento da embalagem sachê é automatizada. "Em relação ao aparecimento de focos de bolor em embalagens fechadas de molho de tomate, a empresa informa que a provável causa é a embalagem ser danificada (microfuro imperceptível a olho nu) devido ao manuseio incorreto em transporte e/ou no armazenamento nos pontos de distribuição", diz no comunicado.

A empresa diz que, por não conter conservantes, a entrada de ar pelo microfuro pode causar a contaminação do produto e, consequentemente, o surgimento do bolor.

A Fugini afirma ainda que "sempre cumpriu com todas as obrigações sociais, legais, trabalhistas, fiscais e tributárias, além de respeitar o compromisso de entregar qualidade, saudabilidade e sabor em seus produtos".

Fabricação de produtos da marca já foi suspensa pela Anvisa

Em 29 de março, a agência sanitária anunciou a suspensão da fabricação, distribuição, comércio e uso e fabricação dos produtos da Fugini. A decisão foi motivada pela identificação de falhas na higiene dos produtos, controle de qualidade e segurança das matérias-primas, controle de pragas e rastreabilidade.

Em 10 de abril, a resolução foi revogada pela Anvisa. Porém foi mantida a suspensão de distribuição, comercialização e uso dos produtos fabricados até o dia 27 de março de 2023.

Uma perícia no Rio Grande do Sul encontrou fungos e ovos de parasitas em molhos da Fugini. O laudo indicou que a contaminação torna o produto impróprio para consumo humano.