Conteúdo publicado há 12 meses

Jovem é convocada por engano em concurso público e vai receber R$ 31 mil

Uma jovem de Santa Catarina vai receber uma indenização de R$ 31 mil após ser convocada por engano em um concurso do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O que aconteceu?

Candidata de 19 anos pediu demissão do emprego para assumir cargo de coordenadora censitária do IBGE no ano passado. Dias antes de começar a trabalhar, um servidor avisou que ela não poderia ser nomeada, porque o concurso já tinha perdido a validade.

Ela participou de seleção de março de 2019. A remuneração prevista era de R$ 3,1 mil, quase o dobro do que ela recebia na época de uma empresa de Criciúma: R$ 1,7 mil.

Justiça Federal condenou IBGE a pagar indenização. A jovem vai receber o equivalente a um ano de salário em seu emprego anterior, o que corresponde a cerca de R$ 21 mil, mais R$ 10 mil pelos danos morais.

Jovem não assumiu cargo e continua desempregada, disse a juíza Ana Lídia Silva Mello Monteiro, da 1ª Vara Federal de Tubarão. "Os danos morais sofridos por ela são evidentes e devem ser indenizados", escreveu ela na decisão. "Se o IBGE não tivesse convocado a parte autora, ela não teria pedido demissão do emprego".

Ainda cabe recurso da decisão. O UOL tenta contato com o IBGE. Se houver resposta, o texto será atualizado.

Deixe seu comentário

Só para assinantes