Conteúdo publicado há 11 meses

Campos Neto teve reunião secreta com Bolsonaro antes de Copom subir juros

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, se encontrou secretamente em maio de 2022 com o então presidente Jair Bolsonaro (PL) horas antes de uma reunião do Copom sobre a taxa básica de juros, a Selic. A informação foi divulgada pelo Metrópoles e confirmada pelo Banco Central à reportagem do portal.

O que aconteceu

A reunião ocorreu no começo da manhã do dia 4 de maio de 2022, no gabinete presidencial, segundo o e-mail trocado entre assessores próximos de Bolsonaro.

O Copom decidiria por aumentar em 1 ponto a taxa Selic após a reunião de 3 e 4 de maio. A Selic foi elevada a 12,75%, o que representava o maior patamar dos últimos cinco anos até então.

A reunião secreta foi descoberta após análise de documentos encontrados no celular de Mauro Cid, tenente-coronel do Exército que era ajudante de ordens de Bolsonaro e que, hoje, se encontra preso.

O que diz o Banco Central

Ao Metrópoles, o Banco Central disse que "nenhum tema relativo ao Copom foi tratado durante o referido encontro", mas não detalhou quais foram os assuntos tratados na ocasião.

Além disso, o BC afirmou que a reunião não foi divulgada devido a uma "falha operacional" na agenda pública de Campos Neto.

O BC também disse que não há regras que impeçam Campos Neto de se encontrar com agentes públicos. O banco se referia a uma outra regra que estipula um período de silêncio público para dirigentes da autarquia na semana anterior à reunião sobre a Selic.

O UOL pediu o posicionamento do Banco Central e aguarda retorno.

Deixe seu comentário

Só para assinantes