Conteúdo publicado há 6 meses

2.100 trabalhadores das lojas da Apple entram em greve nacional na França

Os trabalhadores das lojas da Apple em toda a França entraram hoje em greve, exigindo melhores salários, com aumento real de 7%, para compensar a alta da inflação no país.

O que se sabe:

A greve nacional reúne 2.100 trabalhadores das lojas da Apple na França e foi programada para coincidir com o lançamento do mais recente smartphone da empresa, o iPhone 15.

Clientes ansiosos tiveram que cruzar linhas de piquete de empregados fora das lojas para estarem entre os primeiros a comprar o novo telefone, segundo apurou a CBS News.

Na loja principal da empresa, no centro de Paris, cerca de 40 compradores enfrentaram não só as greves, mas também as fortes chuvas que atingem a cidade para comprar o iPhone15.

Em um vídeo que se espalhou pelas redes sociais, dezenas de trabalhadores da Apple podiam ser vistos do lado de fora da principal loja da empresa, em Paris, segurando cartazes e exigindo salários melhores.

Os sindicatos franceses dizem que querem um aumento salarial de 7% para os funcionários das lojas da Apple, em todos os níveis, para compensar o aumento da inflação. Os líderes sindicais disseram que a Apple ofereceu um aumento médio de 4,5% para os funcionários do país, o que eles rejeitaram, segundo apurou a emissora de TV France3.

"Estamos falando de uma inflação de 5% a 6% ao ano e uma proposta de 4,6% é pedir que percamos dinheiro. O nível de vida dos funcionários da empresa mais rica do mundo está diminuindo e isso é inaceitável para nós",
Renaud Chateauroux, dirigente sindical

O principal sindicato dos funcionários da Apple na França, Cidre-CFTC, emitiu um comunicado dizendo que nos últimos meses o diálogo com a empresa esteve paralisado. "As negociações anuais obrigatórias foram deixadas de lado sem qualquer discussão real durante duas reuniões", diz o sindicato na nota.

Até o momento, a Apple não se manifestou sobre a greve, segundo a France3.

Deixe seu comentário

Só para assinantes