Lula cobra agilidade em empréstimos do BNDES: 'Muitas exigências'

O presidente Lula (PT) cobrou mais agilidade na liberação de empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), durante evento hoje na sede do banco, no Rio de Janeiro.

O que aconteceu

Lula citou exigências impostas pelo banco. "Não sei se ainda está assim, mas a quantidade que vocês demoram para analisar o empréstimo, a quantidade de mãos que passam o empréstimo... Eu, sinceramente, nunca vi, e briguei com muitos presidentes do BNDES porque não é possível tamanha exigência", destacou.

O presidente ainda brincou com a suposta demora para liberação de empréstimos. "Era tanta exigência, que quem vinha pedir empréstimo terminava emprestando dinheiro para o BNDES, para o BNDES poder lhe emprestar".

Lula assinou dois contratos de captação do BNDES com o Banco dos Brics, instituição financeira do grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Os recursos somam US$ 1,7 bilhão (cerca de R$ 8,5 bilhões). Desse total, US$ 500 milhões são para projetos de combate às mudanças climáticas e US$ 1,2 bilhão para investimentos em infraestrutura sustentável.

Além de Lula, o evento contou com as presenças do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e da presidente do Banco do BRICS, Dilma Rousseff.

O petista também alfinetou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). "Nós não temos tempo a esperar porque temos um mandato de três anos. Para o Bolsonaro, que vai ficar na fila de espera, ele sabe que três anos demora para caramba, mas, para mim, passa rápido. Já passou um ano".

Lula definiu o governo anterior como uma "praga de gafanhotos". "Dilminha, nós dois, nos outros dois mandatos, a gente não chegou nem perto da credibilidade que nós conquistamos nesse período agora. A praga de gafanhotos que passou por esse país fez as pessoas descobrirem o quanto é importante esse país ter um governo democrático. Vocês não têm noção de como eu sou tratado lá fora".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes