Veja como ricaços, assim como Ana Hickmann, renegociam dívidas com desconto

A Legend Investimentos, que faz parte da holding Legend Capital, foi contratada para ajudar a reestruturar a dívida da empresa Ana Hickmann Serviços Ltda., administrada pela apresentadora de 42 anos e seu ex-marido, Alexandre Correa. A companhia acumulou dívida milionária que chega a R$ 7,9 milhões em decorrência de empréstimos, débitos fiscais e inadimplência.

Entre os sócios da empresa financeira, estão figurões como o ex-ministro Paulo Guedes, o empresário Roberto Justus e a ex-presidente da Caixa Daniella Marques, que é membra do conselho. Foi Daniella, inclusive, quem fez o meio de campo entre a Legend e Hickmann. O anúncio da parceria entre as amigas de longa data foi feito pela própria Ana Hickmann em seu Instagram no dia 7 de dezembro.

A Legend Capital administra 11 bilhões de reais (2,3 bilhões de dólares) e tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Miami. A gestora é especializada em assessoria de investimentos, afiliada ao BTG Pactual, e gestão patrimonial.

Dívidas milionárias são iguais a dívidas menores?

Não: além das grandes quantias envolvidas, dívidas milionárias geralmente envolvem um número maior de credores, como muitos bancos e empresas. "É mais ou menos como se fosse uma recuperação judicial [de empresas]. Quanto maior a dívida, mais complexa fica a questão da renegociação, porque vai envolver mais agentes", explica Marcello Marin, mestre em Governanças Corporativa e CFO da Spot Finanças, empresa especializada em contabilidade e gestão financeira.

Outra diferença é que as dívidas milionárias conseguem descontos bem maiores em renegociações, segundo Marin. "A classe alta normalmente vai conseguir muitos descontos bons. Como as dívidas são muito altas, os descontos são grandes, principalmente em juros e multas", aponta. "É até injusto. Mas como os valores são muito altos, o risco dos credores de perder dinheiro é muito grande. Então, os bancos e os credores em geral costumam dar maiores descontos para receber o pagamento", explica.

Como funciona a reestruturação?

Reestruturação de dívida é basicamente entender o tamanho do débito e tentar saná-lo. Pedro Salles, CEO da Legend Investimentos, explicou ao UOL que uma reestruturação de dívida de grande porte é dividida em três etapas:

Continua após a publicidade

1. Mapear a dívida. Nesta etapa, Salles explica que é feita uma "anamnese" com o cliente para entender o tamanho da dívida e qual a situação financeira dele. Ele diz que essa é a etapa mais importante da reestruturação, pois identifica as necessidades e o que pode ser deixado em segundo plano;

2. Montar uma proposta para negociar com os credores. Na etapa de negociação, a Legend diz usar de sua reputação e relacionamento com os bancos para procurar melhores condições para seus clientes. Em casos extremos, é possível que bens sejam leiloados para sanar as dívidas, mas geralmente o plano é traçado a partir da renda mensal do devedor. Cliente e credores precisam aprovar o plano de pagamento proposto pelo time da empresa;

3. Acompanhar os pagamentos. Quando os pagamentos começam, Salles explica que a Legend continua monitorando o contrato para tentar encurtar o prazo final de quitação da dívida. "Não é porque a gente conseguiu o prazo de pagar tudo em cinco anos, que queremos isso. Queremos quatro. A gente quer encurtar o pagamento da dívida justamente para mostrar que estamos fazendo tudo bem feito", explica.

Salles diz que o maior problema que pode atrapalhar a reestruturação é, justamente, a falta de informações. "Se o cliente não trouxer todas as cartas para a mesa, nosso trabalho é dificultado", diz. Essa omissão pode acontecer por diversos motivos, desde por falta de confiança do cliente com a empresa até por vergonha com a falta de controle financeiro.

Até chegar na etapa final, o processo de reestruturação de dívida de pessoa jurídica pode chegar a até dez anos, segundo o CEO. "É bem mais complexo, porque precisamos entender quão fundo é esse buraco", diz. Já para dívidas de pessoas físicas, esse prazo pode cair para cerca de três anos, dependendo da situação do inadimplente.

Qual é o valor da dívida?

Reunindo ações contra o casal e a empresa, Splash apurou que a dívida chega a R$ 7,9 milhões — desconsiderando ações em que Alexandre e Ana realizaram acordos ou parcelamentos e seguem quitando as dívidas nos prazos combinados. Os documentos acessados pela reportagem foram analisados por Rafael Prazeres Maresti, do escritório Maresti Advogados.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes