Conteúdo publicado há 1 mês

Josias: Super-ricos são beneficiados com isenções e pobres são asfixiados

Os pobres são asfixiados pelos impostos no Brasil enquanto os ricos são isentos, criticou o colunista do UOL Josias de Souza durante o UOL News da manhã desta quarta-feira (17).

Os ganhos de grupo que representa fatia 0,01% mais rica quase dobraram entre 2017 e 2022, segundo matéria da Folha de São Paulo,

Está na raiz das mazelas do Brasil. Vem daí a nossa desigualdade social. Temos, hoje, um país em que ricos não pagam imposto e os pobres pagam [...] Desde a redemocratização, a democracia se mostrou muito ineficaz na distribuição da renda. O PIB brasileiro tem crescimentos medíocres ao longo do tempo, mixurucas.

Beneficiados por uma série de isenções e tramoias tributárias, os mais ricos não pagam tributos e os mais pobres vão sendo asfixiados. Foram asfixiados, primeiro, pela superinflação. Em um sistema inflacionado, quem tem dinheiro se protege e o pobre, que vive de salário, tem a renda roída.

Veio o Plano Real e todo mundo teve a sensação de que haveria distribuição de renda. Até houve alguma distribuição nos primeiros mandatos do Lula, que teve uma gestão fiscal responsável e conseguiu resultados que permitiram investimentos no Bolsa Família e Fies, dando uma sensação que a faixa dos mais pobres caminhava. No governo Dilma isso se interrompeu, na maior recessão da história, e no governo Bolsonaro acentuou-se a desigualdade.

O que aconteceu

Renda das 15 mil pessoas do topo da pirâmide social no Brasil cresceu até o triplo do restante da população. A concentração da riqueza aumentou ao fim do governo Jair Bolsonaro (PL).

Entre elite que representa 0,01% da população, o crescimento médio da renda praticamente dobrou (96%) entre 2017 e 2022. Enquanto isso, os ganhos dos 95% mais pobres não avançaram mais do que 33% —pouco acima da inflação do período (31%).

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Continua após a publicidade

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes