Conteúdo publicado há 1 mês

Ex-funcionário vítima de gordofobia será indenizado com R$ 4 mil em MG

Um ex-funcionário de uma empresa de transportes será indenizado após receber comentários ofensivos relacionados ao seu sobrepeso em Sete Lagoas (MG).

O que aconteceu

Um ex-vigilante receberá R$ 4 mil por danos morais de uma empresa de transportes onde trabalhou. A decisão foi divulgada hoje pela Justiça do Trabalho de Minas Gerais.

O gerente costumava depreciar a aparência do funcionário. Os comentários eram feitos na frente dos colegas de trabalho com a intenção de ''provocar riso''.

A empresa não fornecia uniforme em numeração adequada ao vigilante. ''Se não emagrecer, não terá camisa que caiba'', dizia o gerente ao homem. Ele também falava que ''iria fazer máquina de moer vigilante'' e ''que ele tinha que perder peso senão usaria uniforme especial''.

O Tribunal entendeu que o funcionário foi vítima de assédio moral. Segundo a sentença, ele foi submetido a uma situação humilhante, em ofensa à autoestima e ao sentimento de honra e dignidade do trabalhador.

A empresa entrou com dois recursos durante o processo, que foram negados.

"Trata-se de atitude preconceituosa de aversão ou repúdio ao indivíduo que aparenta estar com sobrepeso ou obeso, atualmente denominada "gordofobia", fere a honra subjetiva e a psiquê dos indivíduos que são alvos de tais brincadeiras jocosas e inadmissíveis" Juíza Raquel Elizabeth Senra Lima

Deixe seu comentário

Só para assinantes