IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Embraer vende 28 cargueiros à Aeronáutica em negócio de R$ 7,2 bi

Divulgação/ Embraer
O cargueiro KC 390, fabricado pela Embraer Imagem: Divulgação/ Embraer

2014-05-20T12:34:48

2014-05-20T14:48:31

20/05/2014 12h34Atualizada em 20/05/2014 14h48

GAVIÃO PEIXOTO, São Paulo, 20 Mai (Reuters) - A Embraer (EMBR3) assinou com o governo brasileiro nesta terça-feira o primeiro contrato para produção em série do cargueiro KC-390, em um negócio estimado em R$ 7,2 bilhões que inclui suporte logístico, peças sobressalentes e manutenção.

A aeronave, que deve fazer seu primeiro voo até o fim deste ano, começou a ser desenvolvida em 2009 com a Força Aérea Brasileira (FAB).

"Esse contrato vai nos permitir não só sustentar como ampliar nossa base de emprego e será fundamental para solidificar nossa base tecnológica", afirmou o presidente da Embraer, Frederico Curado, ao anunciar o contrato durante cerimônia de inauguração do hangar onde o avião será produzido.

"(O KC-390) é o maior avião já desenvolvido pela Embraer. É um passo adiante para nossa companhia", ressaltou.

A presidente Dilma Rousseff, presente na cerimônia em Gavião Peixoto (SP), também destacou que o avião dará melhores condições de transporte para a Força Aérea Brasileira, além de assegurar a geração de empregos para a fabricante brasileira.

Segundo a Embraer, as entregas do KC-390 ao governo brasileiro começarão no fim de 2016 e se estenderão por 10 anos.

Além do pedido da FAB, existem intenções de compra de 32 aeronaves por Argentina, Colômbia, Chile, Portugal e República Tcheca.

O presidente da Embraer Defesa e Segurança, Jackson Schneider, não quis dar detalhes sobre as negociações com outros países, mas afirmou a jornalistas que a empresa espera ter de 15% a 20% do mercado de cargueiros nos próximos 20 anos.

Em abril do ano passado, a Embraer fez uma avaliação do mercado potencial no segmento de transporte militar, estimando uma demanda mundial por 728 aviões cargueiros até 2025, no valor de mais de US$ 50 bilhões.

Para o ministro da Defesa, Celso Amorim, o contrato anunciado nesta terça representa um sinal para outros interessados.

"Com a aquisição desses 28 aviões, estaremos dando sinal a todas as Forças Aéreas para que elas possam também adquirir o produto brasileiro", disse.

Renovação da frota

A Embraer afirmou que a encomenda do governo brasileiro entrará em sua carteira de pedidos apenas após documentação complementar de contrato, o que deve ocorrer em 90 dias.

Logo após o anúncio do contrato com o governo brasileiro, as ações da Embraer aceleraram a alta na bolsa paulista. Às 14h28, o papel da empresa subia 2,15%, a R$ 19,02, contra valorização de 0,42% do Ibovespa.

Analistas do Credit Suisse liderados por Bruno Savaris destacaram em relatório que o anúncio era esperado apenas para 2015.

O KC-390 é o maior avião já desenvolvido e fabricado no Brasil. O cargueiro representa uma importante diversificação de receita para a Embraer, que tem buscado ampliar o peso da aviação executiva e de defesa em seu resultado para suavizar o impacto das oscilações mais bruscas nos negócios na aviação comercial.

As aeronaves KC-390 que serão entregues à Força Aérea substituirão o C-130 Hercules, da norte-americana Lockheed Martin, atualmente na frota da FAB.

Mais Economia