Bolsas

Câmbio

Ações chinesas fecham em queda; petróleo pesa

As ações chinesas tiveram sua pior sessão em oito semanas nesta quarta-feira (20), com os investidores cada vez mais preocupados com a economia realizando os lucros após uma prolongada alta.

Ainda que nenhum evento específico pareça ter servido de gatilho às perdas, operadores e analistas listaram alguns fatores incluindo menores esperanças de estímulos, decepção com a reestruturação econômica, crescentes riscos de crédito e preços altos de ações de empresas com menor valor de mercado.

O índice de Xangai caiu abaixo do nível dos 3.000 - visto por muitos como um nível técnico de suporte.

No restante da região, as ações fora pressionadas pelo tombo dos preços do petróleo. A greve de trabalhadores de petroleiras no Kuweit terminou após três dias, deixando os mercados repentinamente sem direção.

O Brent LCOc1 caía 1,5%, enquanto o petróleo dos Estados Unidos CLc1 recuava 2%.

Às 7:33 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,30%, depois de iniciar a sessão a seu maior nível desde o começo de novembro.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,19%, a 16.906 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,93%, a 21.236 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 2,31%, a 2.972 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,77%, a 3.181 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,27%, a 2.005 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,38%, a 8.514 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,06%, a 2.949 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,52%, a 5.215 pontos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos