Vendas no varejo do Brasil sobem 0,5% em abril, abaixo do esperado

Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro voltaram a subir em abril impulsionadas pelos setores de supermercados, artigos de uso pessoal e vestuário, porém abaixo do esperado e ainda insuficiente para reverter a tendência de queda diante do cenário de recessão econômica com inflação alta.

As vendas varejistas subiram 0,5% em abril na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (14).

Em relação a abril do ano passado, as vendas registraram queda de 6,7%, 13ª taxa negativa nesse tipo de comparação.

O resultado de abril sobre março ficou abaixo da expectativas em pesquisa da Reuters, de alta de 0,65%, mas o dado anual igualou a mediana das projeções.

O IBGE apontou que, entre as atividades pesquisadas, o destaque em abril foi Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, setor com maior peso na estrutura do comércio varejista, que apresentou alta mensal das vendas de 1%, após recuo em março de 1,4%.

Também influenciou positivamente o resultado as atividades Outros artigos de uso pessoal e doméstico, com alta de 2,8% em abril contra queda de 1,9% no mês anterior, e Tecidos, vestuário e calçados, com avanço de 3,7% depois de recuo em março de 4,7%.

O volume de vendas do varejo ampliado --que inclui veículos e material de construção-- teve queda de 1,4% no volume de vendas em abril.

O setor varejista no Brasil vem sofrendo com o cenário de recessão e aumento do desemprego no Brasil, ao mesmo tempo com inflação elevada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos