Coelho Filho diz que fica no Ministério de Minas e Energia apesar de oposição do PSB

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou à Reuters nesta terça-feira que permanecerá na pasta mesmo com oposição de seu partido, o PSB, que pediu na semana passada que todos os filiados entreguem os cargos no governo federal após denúncias de corrupção contra o presidente Michel Temer.

"O momento exige coragem, atitude e lealdade... a melhor contribuição que devo dar ao país é o meu compromisso com a missão que me foi atribuída. Por isso, permaneço no ministério", disse.

A atuação de Coelho Filho tem sido elogiada nos setores ligados ao ministério, à medida que o governo Temer e sua gestão apostam em uma agenda de licitações e privatizações de ativos em petróleo e energia elétrica, além de reformulações nos marcos regulatórios desses segmentos para atrair investimentos.

O PSB iniciou um processo em sua comissão de ética contra Coelho Filho que poderá até culminar em sua expulsão do partido, o que criou grande expectativa sobre a permanência ou não do ministro no cargo em meio ao acirramento da crise política no país. [nL1N1IO1E1]

"A saída do ministério como orienta meu partido não contribui para a construção de um saída para a crise que enfrentamos", disse Coelho Filho.

Ele garantiu ainda que a agenda da pasta seguirá conforme o planejado até o momento, incluindo as datas previstas para a realização de licitações de blocos para exploração de petróleo e gás.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos