Bolsas

Câmbio

China foca em contrato de referência para petróleo após anos de atrasos

PEQUIM/CINGAPURA (Reuters) - A China abriu mais de 6 mil contas de negócios para seu aguardado contrato futuro de petróleo --com três quartos delas vindo de operadores individuais--, conforme avança com o plano de competir com as referência de preços globais da commodity.

Os principais participantes do setor de petróleo da China e cerca de 150 corretoras também se registraram, mas o forte interesse de pequenos investidores locais parece pronto a diferenciar os contratos futuros chineses em relação a seus colegas ocidentais, que são dominados por investidores institucionais.

A Bolsa Internacional de Energia de Xangai (INE), que irá operar o contrato chinês, disse que está finalizando a solução de problemas técnicos.

O contrato enfrentou anos de atrasos e ainda não há uma data marcada, mas a INE e também os operadores participantes agora dizem que o lançamento este ano é praticamente certo.

"O INE está se esforçando para lançar os contratos futuros de petróleo dentro deste ano", disse uma porta-voz, acrescentando que a bolsa conduziu quatro testes para garantir que o sistema estará tecnicamente pronto.

Os contratos futuros de Xangai têm como objetivo dar à China mais influência nos preços do petróleo na Ásia e uma parcela dos trilhões de dólares negociados em contratos futuros da commodity.

(Por Chen Aizhu e Florence Tan )

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos