Deutsche Bank espera receita menor em 2017 após 2º tri misto

Por Tom Sims e Arno Schuetze

FRANKFURT (Reuters) - O Deutsche Bank previu nesta quinta-fera receita menor para 2017 e apenas uma modesta melhora no lucro , após uma queda no mercado de capitais atingir as vendas no segundo trimestre.

A perspectiva modesta e uma queda de 10 por cento na receita fizeram as ações do maior banco alemão cair de mais de 4 por cento por receios de que uma recuperação pode demorar.

O presidente-executivo do Deutsche, John Cryan, disse que a rentabilidade no trimestre ficou aquém das metas de longo prazo.

"As receitas não foram tão universalmente fortes como gostaríamos, em grande medida por causa da baixa atividade de clientes em muitos dos mercados de capitais", disse ele em comunicado.

O UBS disse que ficou satisfeito com o progresso do Deutsche Bank nos custos e no capital. "Mas acreditamos que uma reavaliação fundamental teria que ser impulsionada por receitas mais fortes", escreveu o analista da UBS, Daniele Brupbacher, para investidores.

O Deutsche Bank tornou-se um importante ator em Wall Street nas últimas duas décadas, mas apostas extravagantes e má conduta resultaram em multas de 15 bilhões de euros (17,6 bilhões de dólares) desde 2009.

Em um esforço para melhorar o lucro do banco e a sua reputação, Cryan vem reduzindo custos e focando em três áreas nas áreas de banco de investimento, comercial e private banking e gestão de ativos.

Em março, o banco anunciou que vai listar parcialmente seu negócio de gestão de ativos, em uma operação que pode levantar 2 bilhões de euros.

Investidores esperam que o banco se mova rápido para tirar proveito dos mercados de ações dinâmicos, mas agora a listagem em bolsa é improvável antes do primeiro semestre do de 2018.

O banco reduziu o número de funcionários no trimestre em 479, para 96.652 empregados.

O banco está se recuperando de várias batalhas legais que vão do seu papel na venda de títulos garantidos por hipotecas dos EUA até um chamado esquema de "trading de espelho" que pode ser usado para lavagem de dinheiro.

As provisões para possíveis ações judiciais futuras caíram a 2,5 bilhões de euros no trimestre. O Deutsche previu que suas despesas legais subirão no segundo semestre, após praticamente nenhuma despesa de litígio na primeira metade do ano.

O Deutsche Bank superou as previsões com um salto no lucro líquido do segundo trimestre para 466 milhões de euros, ante apenas 20 milhões de euros ano anterior, ajudado pelo corte de custos. Os analistas previam um lucro de 273 milhões de euros.

No entanto, a receita caiu 10 por cento para 6,6 bilhões de euros, e o Deutsche disse esperar que as receitas de seus negócios operacionais sejam menores em 2017 do que no ano passado. O banco previa antes receitas majoritariamente estáveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos