Na contramão da crise, setor de máquinas agrícolas deve crescer até 15% em 2017, diz Abimaq

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de máquinas e implementos agrícolas do Brasil devem crescer entre 10 a 15 por cento este ano, um desempenho menor que o ano passado, mas ainda expressivo em comparação aos demais setores da indústria de máquinas, estimou nesta quarta-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

"É o único setor da Abimaq que vai ter crescimento. É o único setor que está, teoricamente, fora da crise", disse o presidente-executivo da entidade, José Velloso, em evento em São Paulo, lembrando que a associação representa 35 setores da indústria de bens de capital.

Para a Abimaq, a demanda por máquinas agrícolas é reflexo do bom desempenho da agricultura no país, que registrou safras recordes de milho e soja na temporada 2016/2017.

Entre janeiro e julho de 2017, o faturamento do setor acumulou crescimento de 11 por cento ante mesmo período do ano passado, totalizando 7,6 bilhões de reais, informou a Abimaq.

Velloso disse acreditar que o segundo semestre não será tão bom quanto o primeiro e lembrou que a segunda metade do ano passado foi muito melhor que os primeiros seis meses de 2016.

"Então deve terminar o ano com crescimento da ordem de 10 a 15 por cento", concluiu, acrescentando que alguns fabricantes tem uma visão mais conservadora.

O setor de máquinas e implementos agrícolas foi responsável por 42,2 por cento das exportações da indústria brasileira de bens de capital entre janeiro e julho, segundo dados da Abimaq.

(Por Natália Scalzaretto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos