Bolsas

Câmbio

FMI alerta para risco de retrocesso da política econômica na América Latina

(Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou na sexta-feira sobre a incerteza em torno da política na América Latina depois das eleições previstas para a região, já que México, Brasil, Chile e Paraguai se preparam para realizar eleições nacionais nos próximos meses.

O aviso foi incluído no relatório "América Latina e Caribe: Em movimento, mas em baixa velocidade", no qual o Fundo reiterou as projeções econômicas que já havia divulgado na terça-feira.

O relatório também aborda com mais detalhes os desafios para a região.

"Em particular, o risco de que se adotem agendas populistas e que se retroceda nos esforços de reformas e ajustes que estão em curso - que essas economias dificilmente poderiam custear-, poderia reduzir o otimismo e a incipiente recuperação econômica", disse o FMI.

No México, várias pesquisas mostram que o líder de esquerda André Manuel López Obrador lidera a corrida para a eleição presidencial de julho de 2018. O Partido revolucionário Institucional (PRI), do presidente Enrique Peña Nieto, ainda não elegeu um candidato.

No mês passado, López Obrador discordou de um comentário em que Peña Nieto o comparou com os líderes venezuelanos, Hugo Chávez e Nicolás Maduro. Contudo, empresários ainda desconfiam de AMLO, como o candidato é popularmente conhecido, que já propôs revisar os contratos de petróleo do país caso seja eleito.

A perspectiva de reformas também está em questão no Brasil, já que o ex-presidente Luiz inácio Lula da silva, do Partido dos Tabalhadores (PT), lidera as pesquisas para a eleição presidencial de outubro de 2018, em contraste com o governo atual, muito impopular.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos