China corta tarifas de importação de alimentos, remédios e vestuário

PEQUIM/XANGAI (Reuters) - A China informou nesta sexta-feira que cortará as tarifas de importação sobre produtos ao consumidor que vão de carnes a desodorantes e roupas, como parte de uma iniciativa para reduzir custos e ajudar a estimular os gastos dos consumidores internamente.

A medida, que entra em vigor em 1 de dezembro, promoverá fortes cortes nas tarifas de importação de 187 produtos importados. Altas taxas sobre importações têm tradicionalmente elevado o preços de marcas estrangeiras na China e levado os consumidores a gastar mais no exterior.

Após o corte, as tarifas sobre os produtos ao consumidor --que incluem alimentos, suplementos de saúde, produtos farmacêuticos e recreacionais e vestuário-- será em média de 7,7 por cento, contra os atuais 17,3 por cento, informou o Ministério das Finanças em seu site.

"As exigências de consumo das pessoas estão aumentando", disse o ministério. "(Os cortes de impostos) vão beneficiar as escolhas disponíveis aos consumidores internamente, e ajudará a melhorar o sistema de oferta doméstico".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos