ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Ação de raro unicórnio japonês dispara 77% em estreia

Kim Kyung-Hoon/Reuters
A empresa de tecnologia Mercari faz sua estreia na Bolsa de Tóquio Imagem: Kim Kyung-Hoon/Reuters

Por Sam Nussey

19/06/2018 16h25

TÓQUIO, 19 Jun (Reuters) - As ações da Mercari, uma operadora de um aplicativo de compra e venda de produtos, subiram 77% na estreia na Bolsa de Valores de Tóquio nesta terça-feira (19), ressaltando o forte apetite dos investidores por um raro unicórnio japonês que planeja expansão nos Estados Unidos.

Os papéis tocaram pico de 6 mil ienes, atingindo seu limite diário e valorizando a empresa em até US$ 7,4 bilhões. Unicórnios são empresas de tecnologia iniciantes com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão.

A listagem faz da Mercari a startup de tecnologia mais valiosa do mercado acionário de Tóquio, à frente da Mixi, de jogos e redes sociais, e da empresa de robótica Cyberdyne.

Aplicativo popular que permite às pessoas comercializarem itens usados ​​online, o Mercari já foi baixado 71 milhões de vezes no Japão, onde tem 10,5 milhões de usuários ativos.

A empresa por trás do aplicativo ganha dinheiro com uma cobrança de comissão dos vendedores e espera que a receita salte 62%, para 35,8 bilhões de ienes (US$ 325,93 milhões), neste ano financeiro.

As ações da Mercari fecharam a 5.300 ienes nesta terça-feira ante preço no IPO de 3.000 ienes.

O IPO, o maior do Japão neste ano, arrecadou US$ 1,2 bilhão com a venda de cerca de um terço das ações da Mercari, com a maioria dos papéis sendo adquirida por investidores estrangeiros.

A empresa é rentável em casa, mas está perdendo dinheiro nos Estados Unidos, onde seus planos de expansão estão sendo liderados pelo ex-executivo do Facebook, John Lagerling.

O presidente-executivo e fundador da Mercari, Shintaro Yamada, disse a jornalistas que a empresa preferiu não informar quando vai ser lucrativa nos EUA, mas expressou confiança em alcançar resultado positivo.

A expansão da Mercari para os EUA levou a empresa a um prejuízo de 4,2 bilhões de ienes no último ano fiscal encerrado em junho de 2017, com uma perda adicional de 3,4 bilhões nos nove meses até março, quando a empresa investiu em publicidade para melhorar reconhecimento da marca.

O aplicativo foi lançado no Reino Unido no ano passado e Yamada apontou a Alemanha e a França como candidatas para futuras expansões.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia