ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Irã diz que Arábia Saudita e Rússia fazem mercado de petróleo "refém", segundo agência

15/09/2018 10h44

LONDRES (Reuters) - O enviado do Irã junto à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse neste sábado que a Arábia Saudita e a Rússia tomaram o mercado de petróleo como "refém", no momento em que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tenta impor novas sanções às exportações de petróleo iraniano.

Os EUA querem cortar as exportações de petróleo do Irã para zero até novembro, e estão encorajando produtores como a Arábia Saudita, outros países-membros da Opep e a Rússia a produzirem mais para atenderem ao déficit.

"A Rússia e a Arábia Saudita alegam que buscam equilibrar o mercado global de petróleo, mas estão tentando assumir parte da fatia do Irã", disse Hossein Kazempour Ardebili, segundo a Shana, agência de notícias do Ministério do Petróleo iraniano.

"Os esforços de Trump para cortar o acesso do Irã ao mercado global de petróleo levaram a Rússia e a Arábia Saudita a tomarem o mercado como refém", afirmou.

Kazempour Ardebili disse à Reuters na sexta-feira que os Estados Unidos terão dificuldades para cortar completamente as exportações de petróleo do Irã, já que o mercado de petróleo já está apertado e os produtores rivais não podem compensar o déficit.

Neste sábado ele acusou Moscou e Riad de usarem as sanções contra o Irã para seu próprio benefício, e advertiu que tais ações prejudicariam a credibilidade da Opep.

Sob pressão de Trump para baixar os preços do petróleo, a Opep e aliados concordaram em junho em aumentar a produção, após um acordo de corte de fornecimento que estava em vigor desde 2017.

Embora a produção da Opep tenha aumentado desde então, a Arábia Saudita adicionou menos petróleo do que inicialmente indicado ao mercado global.

(Reportagem de Bozorgmehr Sharafedin)

Mais Economia